Material de campanha política é retirado das Ruas por determinação do Juiz Eleitoral José Adimilson

Juiz José Adimilson ajudando no recolhimento das placas

Juiz José Adimilson ajudando no recolhimento das placas

Através de uma operação que começou na noite da última quarta-feira (17), e que se estendeu pela manhã dessa quinta-feira (18), comandada pelo Juiz de direito José Adimilson Gomes Pereira e pelo Promotor de Justiça Ramon Furtado, ambos da Comarca de Xinguara, todo material de campanha política que estavam nas Ruas e Avenidas da cidade de maneira irregular, foram recolhidos e levados para o pátio do Cartório da 061º Zona Eleitoral.

Para a operação o Juiz convocou as polícias militar e civil, para que desse apoio, além dos policiais militares comuns, uma guarnição do GTO – Grupo Tático Operacional, sob o comando do TEN Lino e uma equipe da polícia civil participaram da operação. Ninguém poupado no recolhimento do material, até mesmo o magistrado José Adimilson e o promotor Ramon Furtado colocaram a mão na massa para que o trabalho fosse agilizado de maneira rápida.

Dr. Ramon Furtado (Promotor de Justiça)

Dr. Ramon Furtado (Promotor de Justiça)

Ramon Furtado, Promotor de Justiça disse que todas as placas e cavaletes de propaganda política em Xinguara estão colocados de maneira irregular, por estar colocados sobre as áreas de jardim das praças, como tem uma resolução da legislação que proíbe esse tipo de irregularidade, por isso estamos usando o poder de polícia para recolher tudo, vamos encaminhar para junta eleitoral e comunicar a Justiça. Afirmou Ramon

O Juiz José Adimilson também falou com nossa equipe, ele disse que será feito um minucioso relatório sobre a operação que será encaminhado a Justiça Eleitoral. O magistrado fez questão de dizer que a operação foi realizada de forma bem transparente, não foi poupado material de candidato A ou B, o trabalho foi feito com imparcialidade, a multa para o partido que comete esse tipo de crime eleitoral pode chegar a oito mil reais, ele deixou bem claro, se voltarem a poluir os espaços público e aqueles que forem flagrados serão presos e encaminhados a Polícia Federal  . Disse

Legislação eleitoral

A Resolução 23.404/2014 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dispõe sobre propaganda eleitoral e condutas ilícitas em campanha eleitoral nas Eleições de 2014. O artigo 11 desta resolução proíbe a veiculação de propaganda de qualquer natureza, “inclusive pichação, inscrição a tinta, fixação de placas, estandartes, faixas e assemelhados (Lei nº 9.504/97, art. 37, caput)”, em locais que dependam de cessão ou permissão do poder público ou que a ele  pertençam, e nos de uso comum, “inclusive postes de iluminação pública e sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos”. O mesmo artigo estabelece prazo para a remoção da propaganda irregular bem como multa em caso de descumprimento desta.

O parágrafo 4º cita do artigo citado ressalta que “é permitida a colocação de cavaletes, bonecos, cartazes, mesas para distribuição de material de campanha e bandeiras ao longo das vias públicas, desde que móveis e que não dificultem o bom andamento do trânsito de pessoas e veículos (Lei nº 9.504/97, art. 37, § 6º)”. O parágrafo 5º diz que “a mobilidade estará caracterizada com a colocação e a retirada dos meios de propaganda entre as 6 e as 22 horas”. Mais informações sobre a resolução CLIQUE AQUI.

Qualquer denúncia relacionada à propaganda eleitoral pode ser encaminhada ao Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA).

DSC_0125 [1600x1200]DSC_0123 [1600x1200]DSC_0117 [1600x1200]DSC_0108 [1600x1200]DSC_0105 [1600x1200]DSC_0100 [1600x1200]DSC_0100 [1600x1200]DSC_0098 [1600x1200]DSC_0097 [1600x1200]DSC_0092 [1600x1200]DSC_0078 [1600x1200]DSC_0074 [1600x1200]DSC_0068 [1600x1200]DSC_0085 [1600x1200]DSC_0067 [1600x1200]

Expulso, Sheik critica CBF: ‘Vergonha’

Atacante fez dois gols no jogo entre Botafogo e Bahia e desabafou

Após ser expulso, Sheik criticou a CBF em frente a uma câmera de TV

Após ser expulso, Sheik criticou a CBF em frente a uma câmera de TV

Emerson Sheik foi herói e vilão do Botafogo ao mesmo tempo no jogo entre Botafogo e Bahia. O atacante fez dois gols, mas foi expulso do Maracanã, ao receber o segundo cartão amarelo.

Ao deixar o campo, o jogador não se conteve e criticou a CBF. “CBF, você é uma vergonha. Vergonha! Vergonha! Vergonha!”, desabafou.

Além de Sheik, Ramírez também foi expulso um pouco antes do episódio envolvendo o atacante.

Seleção de futebol de Xinguara faz primeiro coletivo antes da estreia

DSC_0061 [1600x1200]A seleção de futebol de Xinguara que vai estrear na Copa Sul Pará de seleções no dia 27 de setembro fora de casa, fez o primeiro coletivo nessa quarta-feira 17, faltando 10 dias para a esteia a seleção xinguarense que tem o comando do experiente treinador Reginaldo Martins “GATA LOIRA”, fez um treino com bola, o trabalho durou 50 minutos, divididos em dois tempos.

DSC_0058 [1600x1200]Para Gata Loira, 10 dias será o suficiente para acertar a equipe para estrear fora de casa contra a seleção de Sapucaia. Agora é só acertar alguns posicionamentos, a equipe está bem fisicamente, temos agora que definir a equipe que vai enfrentar Sapucaia, uma vez que temos três jogadores titulares contundidos e não tem condições de jogar o primeiro jogo da competição. Afirmou Reginaldo Martins

Quem estava no estádio Jota Santos, era o secretario de esporte de Xinguara, Nilton Abreu Moreira, o secretario disse que está muito confiante com o grupo, os jogadores e comissão técnica, estão todos muito unidos, deu até para lembrar do titulo de 2007, daquele grupo alegre e unido. Nilton Abreu disse que a seleção xinguarense pode voltar a dar alegria para sua torcida, e o que depender de mim vai dar tudo certo, vamos trazer esse caneco. afirmou.

DSC_0040 [1600x1200]DSC_0041 [1600x1200]DSC_0050 [1600x1200]

Marin se diz insatisfeito com arbitragem, e CBF divulga vídeos com regras do futebol

José Maria Marin, presidente da CBF, se mostrou insatisfeito com a arbitragem

José Maria Marin, presidente da CBF, se mostrou insatisfeito com a arbitragem

As polêmicas sobre o “apito” nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro chamaram a atenção do presidente da CBF, José Maria Marin. Nesta quarta-feira, o dirigente foi questionado sobre o assunto, se mostrou insatisfeito com os erros de arbitragem nas últimas rodadas e garantiu que a entidade tem feito de tudo para melhorar o nível e colaborar com o trabalho dos árbitros.

“Eu procuro assistir a quantos jogos for possível na televisão e estou preocupado. Conversei com diretores, não estou satisfeito. Tudo que foi possível por parte da CBF, nós fizemos. Investimos, compramos itens eletrônicos. Mas, nas últimas rodadas, não fiquei satisfeito. Vamos procurar melhorar, custe o que custar”, afirmou Marin, em entrevista coletiva após a convocação da seleção brasileira.

Justamente a partir desta quarta, a CBF começou a divulgar vídeos em seu site oficial com as regras do futebol. Na primeira publicação, que conta com explicações dadas pela ex-bandeirinha e agora instrutora Ana Paula de Oliveira, o tema é “mão na bola”.

Homem pode ter sido morto por ataque de porcos selvagens em Rio Maria

O corpo de Antônio Eusébio da Silva, de 72 anos de idade, foi encontrado na terça-feira (16), em uma mata na zona rural de Rio Maria, por moradores da região. A vítima era deficiente físico (não possuía o braço esquerdo) e havia saído de casa, no dia anterior, pela manhã, para ir caçar em companhia de cachorros, mas não retornou para o almoço, deixando seus filhos e vizinhos preocupados. No final da tarde os cachorros apareceram com graves lesões pelo corpo, como se tivessem sido mordidos por alguma fera.

As buscas para encontrar o desaparecido foram intensificadas, até que no dia seguinte (16//09/14), às 15 horas, o corpo de Antônio Eusébio foi encontrado já em adiantado estado de putrefação. De acordo com comentários dos vizinhos, ele pode ter sido atacado por um bando porcos do mato, uma vez que na mata em que o corpo dele foi achado, os porcos costumam atacar pessoas acompanhadas por cachorros. (Texto: Edimar Brito)

 

Dois advogados prestaram termo de compromisso na sede da OAB de Xinguara

Momento da leitura do compromisso

Momento da leitura do compromisso

Os dois jovens e promissores advogados de Xinguara, Ribamar Gonçalves Pinheiro “RIBAMAR SOM DA PEDRA” e Djarley Souza Ramos, prestaram o termo de compromisso na sede da OAB – Ordem dos Advogados, Subseção Xinguara.

O ato solene aconteceu nesta segunda-feira 15 de setembro as 15:00h, e foi comandado pelo advogado Dr. Cícero Sales, presidente da Subseção da Ordem em Xinguara. O termo foi lido pelo presidente e durante a leitura os dois jovens repetiam as palavras.

Dr. Ribamar Gonçalves recebendo sua carteira das mãos do presidente

Dr. Ribamar Gonçalves recebendo sua carteira das mãos do presidente

O conteúdo do termo dizia o seguinte: Prometo exercer a Advocacia com dignidade e independência. Observar a ética, os deveres e prerrogativas profissionais e defender a constituição, a Ordem Jurídica do Estado democrático, os direitos humanos, a Justiça social, a boa aplicação das leis, a rápida administração da Justiça e o aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas. “PROMETO”.

Dr. Djarley Ramos recebendo sua carteira das mãos do presidente

Dr. Djarley Ramos recebendo sua carteira das mãos do presidente

Após a leitura, Cícero Sales explicou o pro que do termo, “É o último passo, após terminar a faculdade o advogado tem que fazer o exame de ordem, após isso ele entra com o pedido de inscrição na ordem, não basta ter feito o pedido e ter sido aprovado, tem que preencher todos os requisitos ao preencher o formulário, estando tudo certo a OAB expede a carteira do advogado e nos manda tomar o compromisso que é o ato final para estar habilitado a advogar, o termo é onde o advogado se compromete a cumprir com o estatuto da advocacia, cumprir com que diz a lei, todas as palavras que eles citaram aqui estão nos artigos 1º e 2º da lei que regulamenta a advocacia”. Afirmou Cícero Sales

Familiares e amigos, acompanharam os dois jovens nesse momento único na vida de um ser humano, terminado o ato solene os advogados receberam os cumprimentos pela conquista.

DSC_0028 [1600x1200]DSC_0029 [1600x1200]DSC_0032 [1600x1200]DSC_0035 [1600x1200]DSC_0036 [1600x1200]DSC_0037 [1600x1200]

JARBAS CONCLAMA A SOCIEDADE PARAENSE A LUTAR POR JUSTIÇA

“Nós precisamos nos unir em torno de uma causa. Essa causa é a causa da justiça.”, Esse foi o apelo feito pelo presidente da Ordem aos participantes da VI Conferência dos Advogados do Pará.

Presidente da seccional paraense, Jarbas Vasconcelos

Presidente da seccional paraense, Jarbas Vasconcelos

O discurso de encerramento da VI Conferência dos Advogados do Pará, proferido no último dia 12 pelo presidente da seccional paraense, Jarbas Vasconcelos, passou tanta energia aos presentes, que parecia estar na cerimônia de abertura oficial do evento.

Sob olhares atentos de uma plateia de curiosos estudantes de direito, de mestres e doutores nas mais diversas áreas do saber e, após agradecer aos diretores e conselheiros seccionais, ao Conselho Federal da OAB e colaboradores da Ordem, pelo sucesso da Conferência, Jarbas iniciou seu discurso interrogando a plateia sobre o que nos falta à Amazônia; o que condena essa região ao atraso. Perguntas que insistem em povoar a mente do presidente e para as quais procura resposta na história do estado, mais especificamente, no ano de 1835, quando ocorreu aqui, no Pará, “a primeira e mais autêntica revolução popular que esse Brasil já teve, inspirada na Revolução Francesa.”: a cabanagem, que aconteceu no mesmo período em que acontecia, no Rio Grande do Sul, a Farroupilha.
“E porque o sul é desenvolvido e nós, continuamos atrasados na Amazônia, se aqui foi fincada a bandeira de igualdade, a aspiração do sonho de liberdade? Porque na farroupilha se terminou a guerra com a anistia das lideranças. A cabanagem terminou com o genocídio.”

10641004_352803341562459_5808416200692283502_nA revolta acabou sem que os cabanos conseguissem atingir seus objetivos. Naquela época havia no Grão Pará, 100 mil habitantes, destes morreram 40 mil. Eduardo Angelim cassado e todo os que participaram daquela revolução foram mortos – uma a um. “Foi assim que entramos na república, foi assim que chegamos à Constituição de 88 e, é assim que permanecemos até hoje. Nós, lamentavelmente, somos a periferia do Brasil. Por que na Amazônia, a efetivação dos direitos se dá de forma retarifária, atrasada.”, observou Vasconcelos.

“É preciso que nós nos levantemos, é preciso que nós nos inflamemos novamente e digamos para o Brasil, a Amazônia tem um povo forte como essa OAB, para lutar e dizer que queremos ser tratados como brasileiros, como iguais, pois aqui nem o 5º artigo da Constituição Federal foi respeitado.”, destacou o presidente, como sendo este o principal desafio dos paraenses.

Jarbas também discorreu sobre os números do Pará. “Quando olho para o nosso estado, olho com tristeza. Nós temos os números dos indicadores sociais e de violência mais degradantes do Brasil.”

O Pará, de acordo com dados apresentados pelo presidente, é o estado onde mais tem trabalho escravo do Brasil, trabalho forçado, tráfico humano, tráfico de mulheres. “Aqui é um corredor de tráfico de armas, de droga, de homens, de mulheres. Daqui são traficados 38 milhões de animais silvestres por ano. De todo o comércio ilegal de madeira, a Amazônia responde por 40% da madeira ilegal produzida no mundo. A maioria das lavras do Pará não é feita pelas grandes empresas. São lavras de extração ilegal. Aqui temos o maior tráfico de pedras preciosas e quase a totalidade de diamantes e de ouros são de extraídas ilegalmente, a custa do sacrifício dos nossos rios, dos nossos igarapés, da nossa fauna, da nossa flora, da nossa floresta.”

“O Pará tem a pior educação pública do Brasil.”, afirmou o presidente. “Um dos piores índices de saúde pública e o índice de violência é absurdo.”, completou. “Pouco mais de 30% dos casos de homicídios ocorridos no Pará ficam sem resolução.”, ressaltou o presidente.

E não para por ai. Vasconcelos apresentou outros números. “No judiciário paraense existem 317 juízes para 1.200.000 processos. Quase quatro mil processos por juiz. A pior relação juízes/população do Brasil: cinco para cada 100 mil habitantes, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça. Aqui são dois promotores por cem mil habitantes. Faltam delegados, faltam policiais, falta o Estado…”

Ao falar sobre isso, Jarbas lembrou o economista estadunidense Douglass North – que em 1993, foi laureado com o Prêmio Nobel de economia, para dizer o “óbvio”, segundo Jarbas. Douglass mostrou que recurso natural, floresta, rio a energia, nada vale se não tiver justiça. “O que garante o desenvolvimento de uma nação é ter justiça que funcione. Justiça que garanta o contrato, que garanta a liberdade, que garantindo a liberdade garanta a vida e o exercício pleno dos direitos de cada um. Este é o principal elemento que garante desenvolvimento de uma nação. Um estado democrático de direito efetivo.”

Segundo dados do IBGE, 2.100.000 dos 8 milhões de paraenses vivem hoje abaixo da linha da pobreza, o pior índice de Desenvolvimento Humano – IDH é no Marajó. “Na nossa região, as pessoas morrem de fome sob minas de diamantes. No Pará, falta pão em um estado que tem duas vezes e meio o tamanho da França. E tudo isso por falta de Justiça.”

Jarbas revelou ainda que se há algo que o enerva é tratar de “juizite”, de “delegatite”, “promotite”. Para ele, existem entre esses gestores públicos, membros dos poderes, mais coisas que os uma, do que coisas que os separe “Eles não têm consciência do cargo que exercem, da grandeza. Por isso, nós precisamos nos unir em torno de uma causa. Essa causa é a causa da justiça.”, definiu.

“Após 500 anos a Amazônia continua ocupada. Após 20 anos de ditadura militar e mais 25 de democracia, 914 pessoas foram assassinadas por conflitos de terra e deste, somente 18 foram a julgamento. Nós precisamos triplicar o número de juízes em nosso estado, precisamos quadruplicar o número de promotores, de defensores. Precisamos ter em cada município uma casa que nós possamos chamar: essa é a Casa de Justiça.”

Vasconcelos se disse indignado ao assistir na televisão os candidatos ao governo do estado, durante a propaganda política, fazendo promessas de construção de pontes, de energia, de luz, mas nenhum deles se compromete em garantir justiça. “O futuros governantes precisam de uma proposta que priorize a justiça. Pois sem justiça seremos condenados ao atraso, condenados a ser um território ‘ocupado’.”

Para Jarbas, tudo na Amazônia é um grande mercado, ilegal e, que se destina ao comércio internacional. “E isso não nos indigna? Isso não nos ofende? Deveria nos ofender. Nós precisamos lutar. E é por isso que eu convoco vocês, essa geração de jovens e aos meus pares da OAB, para que essa OAB continue nessa gestão – e creio que continuará na gestão que me sucederá, pois a gestão que me sucederá está aqui nesta mesa – com esse compromisso. Por que esta OAB tem o compromisso de resgatar, de libertar a Amazônia, de libertar o povo da Amazônia. Eu gostaria muito Alberto Campos, de poder um dia dizer no túmulo de Angelim, ‘a OAB cumpriu a sua promessa. A Amazônia é a pátria da liberdade e da cidadania.’”, concluiu o presidente da OAB-PA.

Homem que abusou sexualmente de uma Criança em São Félix já está preso

Francinaldo Alves da Costa sendo conduzido pela PM

Francinaldo Alves da Costa sendo conduzido pela PM

O homem que estava sendo procurado pela Polícia de São Félix do Xingu que fica no sul deste do Pará, já está atrás das grades. Francinaldo Alves da Costa, de 18 anos de idade, foi preso pela Polícia Militar por volta de 15:30h, dessa segunda-feira 15, Francinaldo é acusado de estupro de vulnerável contra uma criança de apenas 7 anos de idade.

Francinaldo vivia maritalmente com a mãe da vitima, a mulher, mãe da criança procurou a Polícia e afirmou que, foi ela mesma quem flagrou seu companheiro praticando atos libidinosos contra sua filha. O abuso contra a criança aconteceu no último domingo (14/09), mas através do excelente trabalho da Polícia Militar de São Félix do Xingu, com menos de um dia o acusado foi capturado e agora está a disposição da Justiça. (Com informação da PM de São Félix do Xingu)

São Félix do Xingu: Vereador é preso acusado de estupro

Vereador Laranjeira de São Félix do Xingu

Vereador Laranjeira de São Félix do Xingu

A equipe Caveira, da delegacia de Polícia Civil de São Félix do Xingu, prendeu na manhã de hoje, segunda-feira (15/09), o vereador Adaílton Raimundo Leite, conhecido por Laranjeira, de 63 anos, acusado de praticar crime sexual contra uma menor de 13 anos.

Laranjeira representa o distrito Ladeira Vermelha, distante 160 km da sede do município. O vereador será transferido para o presídio de Redenção, e ficará à disposição da justiça. Laranjeira, filiado ao Partido da República – PR está sendo acusado por familiares de uma menor de 13 anos, de ter mantido relações sexuais e engravidado a adolescente. (Texto: Otavio Araújo)

Portões são arrebentados na FAX

Segurança falha e portões do Parque de Exposição de Xinguara são abertos à força.

Ainda não se sabe por que, mas os portões do Parque de Exposição Orlando Quagilato de Xinguara foram fechados mais cedo do que o horário habitual. Depois que os portões do Parque foram fechados pelos seguranças por volta de 01:40h, da manhã dessa segunda-feira 15,cerca de 15 pessoas que ainda estavam nas dependências do parque, onde acontece as atividades da Feira Agropecuária, se sentindo indignadas, usaram de vários meios até conseguirem arrebentar o cadeado de um dos portões da entrada principal do Parque.

Após o episódio, policiais militares estiveram no local, mas não conseguiram encontrar os nem uma das pessoas que quebram o cadeado. (Com informações de Antônio Guimarães)