A 2ª temporada do Expedição Pará exibe as riquezas naturais da região do Marajó e acompanha uma trilha de Bicicleta

O cinegrafista Moisés Nascimento aparece ao lado do diretor de fotografia, William Di Farias, e do editor Alexandre Gibson (Foto: Produção TV Liberal)

Programa especial acompanha a trajetória de 12 ciclistas por vários municípios da ilha. Segunda temporada começa no próximo dia 14 de abril

A partir do próximo sábado (14), após o Jornal Hoje, a TV Liberal começa a mostrar algumas belezas ocultas do estado. Em sua segunda temporada, o “Expedição Pará” busca seguir novos roteiros para contar a história dos moradores da região do Marajó, usando uma produção jornalística repleta de imagens inéditas para a TV aberta e internet.

“Temos aproximadamente 40 horas de gravação feitas durante 5 dias de viagem pelo Marajó. Desse material tivemos que ser muito seletivos para fechar um programa de 55 minutos. Mesmo assim, quase 90% das histórias que presenciamos serão exibidas”, explica Alexandre Gibson, produtor e editor-chefe do programa.

O repórter André Laurent que, durante as filmagens, realizou uma trilha ciclística na região, conta que o que mais lhe chamou atenção na viagem foram os contrastes da Amazônia ribeirinha. “É importante passarmos por lugares que a televisão, muitas vezes, não consegue mostrar. Não mostramos o Marajó a partir da visão turística. Mostramos a vida das pessoas e a realidade econômica do local”, disse.

Durante a viagem, a equipe seguiu a viagem de 12 ciclistas que saíram do município de Soure até Salvaterra. A trilha percorreu, aproximadamente, 300 quilômetros. De acordo com Alexandre Gibson, a viagem foi planejada pelos próprios ciclistas. “A nossa missão foi apenas documentar. O dia começava cedo, 6 horas da manhã, e entrava pela noite, sem pausa para almoço. É um ritmo acelerado e a equipe precisa estar afinada, sempre focada e atenta, porque as histórias surgem no caminho e não podemos perder, não tem uma segunda chance”, declarou.

Laurent também destaca o trabalho preciso da equipe de profissionais que acompanharam a trilha. “Eu gostei muito do resultado. Muita gente vai se surpreender com o que tem lá. Como é a vida dos moradores, os desafios dessas pessoas. As imagens dos nossos repórteres William de Farias e do Moisés Nascimento são sensacionais. Olhar primoroso, olhar sensível do Marajó”, afirma.

Além disso, a tranquilidade do Marajó, segundo Laurent, ajudou a equipe a encontrar um ritmo mais calmo para realizar as imagens. “A vantagem da trilha de bicicleta é que você encontra uma velocidade certa para você observar o cenário. Nem tão rápida e nem de devagar”, afirma.

Alexandre destaca ainda a solidariedade do povo marajoara como um dos pontos marcantes da produção. “Nesse Expedição Pará encontramos lindas histórias. Como a da Leticia, uma menina de 19 anos, com filha no colo, em uma casa, no meio do nada, em um região que parece um deserto, que mesmo racionando água recebeu os ciclistas e dividiu o bem mais precioso que tinha naquela seca, deu um pouco da água que tinha”.

G1 Pará

SEM COMENTÁRIO