Polícia

A Polícia continua a busca aos ”Monstros da chacina na colônia Estiva” e incentivadores do crime

Superintendente de Polícia de Civil delegado Antônio Miranda Neto
Superintendente de Polícia de Civil delegado Antônio Miranda Neto

O superintendente de Polícia de Civil do Araguaia Paraense, delegado Antônio Miranda Neto,  em entrevista coletiva com a imprensa na manhã desta quarta-feira (18), disse que a barbárie ocorrida na região da Colônia Estiva que distante a cerca de 40 quilômetros da cidade de Redenção, foi elucidada.  Segundo o Miranda, o crime com requintes de selvageria,   foi motivado por disputa de terra.

Os acusados são o cabeleireiro, Oziel Ribeiro de Moura, que tem residência em Redenção, no Setor Aripuanã, irmão dele Oliveira Ribeiro de Moura, residente na Avenida Graciliano Ramos, Setor Planalto, em Redenção, o colono Dovile Azevedo Belém, vulgo ‘’Cabeça’’, que mora na área de invasão onde aconteceu a tragédia e os irmãos Dione e Tonho, que residem na chácara que pertence a professora Margarida Godoi, local onde aconteceu as execuções.

Casal vitimado
Casal vitimado

De acordo com o delegado Antônio Miranda, as seis vítimas foram assassinadas pelos irmãos, Dione e Tonho, sendo que Dione matou as crianças, e Tonho executou o casal. As informações foram levantadas durante o interrogatório de Dovile Azevedo, o ‘’Cabeça’’, que foi autuado por ter colaborado com os assassinos.

Limpar a área: No depoimento que ‘’Cabeça’’ prestou à polícia, ele contou que Oziel, chamou os irmãos Tonho e Dione, e disse. ‘’Eu já perdi a terra mesmo, eles não vão sair da área, se vocês conseguirem ‘’limpar’’, a terra é de vocês’’, contou Cabeça.

O acusado relatou ainda que foi convidado pelos irmãos para participar da ‘’limpeza’’, mas o mesmo disse que não iria participar, porque já tinha o pedaço de terra dele. ‘’Eles me convidaram, mas eu não acetei e nem fiz parte do plano’’, disse Cabeça.

Dione cruel assassinos
Dione cruel assassinos está sendo procurado como se procura uma agulha no palheiro

A polícia descobriu também que uma semana antes do crime, Oziel Oliveira, procurou a família e disse que eles deveriam deixar a área, pois ela tinha dono. Nesse dia, Oziel, estava acompanhado dos irmãos Dione e Tonho. De acordo com o delegado, a vítima Lediane, falou para Oziel, que eles haviam limpado área e feito investimentos, no que Dione, respondeu. ‘’Nós gosta é assim mesmo, a terra bem  limpinha’’, relata Miranda.  Para a polícia naquele dia os suspeitos já estavam planejando matar a família.

As policias Militar e Civil, continuam vasculhando a área na tentativa de encontrar os dois irmãos assassinos, considerados como ‘’Monstros da Estiva’’, devido a selvageria praticada por eles. As vítimas tiveram a gargantas cortadas e a barriga.

O pequeno Wesley de 9 anos, teve um dos  braços decepado por golpe de foice. Os irmãos Oliveira, fugiram da cidade, casa e os salões onde eles trabalham permanecem fechados, e ninguém sabe informar o paradeiro da família. Todos os seis corpos foram levados para IML de Marabá, e serão velados no Ginásio 13 de Maio.

O prefeito Vanderlei Coimbra, decreto luto oficial por três dias. Na cidade de Redenção o clima é de tristeza devido a tragédia que abalou a população. O único preso até o momento é o colono, Dovile Azevedo, o ‘’Cabeça’’.

A polícia acredita que emprestou as foices para os irmãos assassinos. Duas foices sujas de sangue encontradas na casa de ‘’Cabeça’’, foram encaminhadas para a cidade de Marabá, para o exame de compatibilidade com o DNA das vitimas. (Texto: Dinho Santos)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo