Após dois dias e uma noite sem comer Rivelino anuncia o fim da greve de fome

O advogado Dr. Rivelino Zarpelon que estava sem comer desde as 08 horas de ontem terça-feira (08), anunciou o fim da greve de fome, as 20:00h, desta quarta-feira (09).

Zarpelon em entrevista a TV Record Xinguara na manhã dessa qurta-feira
Zarpelon em entrevista a TV Record Xinguara na manhã dessa qurta-feira

O advogado falou com nossa reportagem e disse que encerou a greve de fome, mas para ele os resultados obtidos através das 36 horas de fome foram bastante positivos, com o apoio da maioria dos advogados da cidade, da OAB, com o apoio de muitas entidades que vieram prestar solidariedade, com essa pressão fizemos com que a corregedoria instaurasse um processo para investigar as irregularidades denunciadas nesse ato. Bem como conseguimos que o CNJ avoque todos os processos relacionados ao Juiz José Adimilson, para o CNJ julgar e não mais o Tribunal de Justiça, Disse Zarpelon.

Dos oito advogados que apoiaram o Dr. Rivelino e estava previsto para serem ouvidos pela corregedora, após uma renegociação só quatro esteve na sala de audiência, foram eles: Dr. Joel Lobato, Cícero Sales, Drª. Regina Zarpelon e o próprio Rivelino Zarpelon que foi quem gerou a manifestação. Por parte do Juiz foram três testemunhas, afirmou o Dr. Rivelino

Zarpelon contou a nossa equipe que os trabalhos foram bastante tensos durante todo tempo, o magistrado entrou armado na sessão, a Juíza corregedora teve que desarmar o colega. Segundo Rivelino nem na presença da magistrada o Juiz deixou de usar sua pistola, os dois celulares dele foi recolhido pela corregedora, porque ele trocava mensagem durante a audiência. A Drª. Rubilene Silva Rosário averiguou os aparelhos e em seguida devolveu ao Juiz.

Dr. Rivelino quando perguntado sobre a experiência de ficar 36 horas sem comer, respondeu que “foi uma experiência muito diferente, sempre quando eu via algo dessa natureza, achava uma atitude extrema, nunca me imaginei fazendo protesto dessa natureza, só que diante de tudo que estava acontecendo, tantos trabalhadores sendo prejudicado pela as ações criminosa desse Juiz, não me deixou outra alternativa se não fazer isso, é doloroso, desconfortável é assustador, mas o calor humano o apoio das entidades não permite que a gente desiste”. Zarpelon afirmou ainda que não se arrepende do fez por nem um minuto “Fiz tudo isso pelo bem da comunidade, pelo bem da sociedade em geral, e o que deu força para resistir foi o apoio de inúmeras pessoas que ligaram, mandarão mensagem de animo, pessoas que estiveram no local da manifestação, nunca me sentir sozinho nesse protesto, por tudo isso é que valeu a pena”. Disse Rivelino.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA