Polícia

Chácara na Colônia Arraiaporã funcionava como QG para assaltantes de bancos

Bando preso na operação Ultimato
Bando preso na operação Ultimato

Um trabalho minucioso de inteligência da Superintendência da Polícia Civil do Araguaia Paraense tendo a frente o delegado Antônio Miranda Neto e a Delegacia do Interior e o soldados do Grupo Tático de Operações-GTO da PM, consegui localizar o local onde uma quadrilha especializada em roubo a banco na região do sul do Pará se reunia para planejar assaltos e se refugiar após a prática dos delitos. A chácara fica localizada a cerca de 36 quilômetros da cidade de Redenção e a três da margem do Rodovia BR-158,  no sentindo ao distrito de Casa de Tábua, na região da Colônia Arraiaporã.

Delegado Antonio Miranda desarticulou a quadrilha localizando o QG
Delegado Antonio Miranda desarticulou a quadrilha localizando o QG

De acordo com o delegado Antônio Miranda Neto, o local funcionava como QG da quadrilha que tem varias ramificações e vários lideres, entre eles Velho Moura e Super 15, que foram presos na operação ‘’Ultimato’’ deflagrada na última quarta-feira, (04), que desarticulou uma organização criminosa  responsável por roubos a bancos ocorridos em Baião, nordeste do Pará, e no interior do Maranhão.

Segundo o delegado os bandidos praticavam o assalto na região se refugiavam na casa, onde escondiam todo o armamento e o dinheiro do assalto e ficavam vários dias escondidos depois rumavam para outro município. No local a polícia encontrou roupas, alimentos usados pela quadrilha. Uma bolsa usada no transporte do dinheiro fruto do assalto na agencia bancaria da cidade de Água Azul do Norte foi encontrada no local.

bolsa usada para carregar o dinheiro da assalto em Agua Azul
bolsa usada para carregar o dinheiro da assalto em Agua Azul

O dono da chácara cuja identidade não foi revelada pela polícia teve a sua prisão preventiva solicitada pelo delegado Antônio Miranda Neto. O caseiro que trabalhava na propriedade rural disse que sempre quando o bando chegava ao local, solicitava a ele que ficasse distante da casa.    Os bandidos atuam na modalidade de assalto a banco conhecida como “vapor” ou “novo cangaço”, em que assaltantes invadem a cidade, rendem clientes e funcionários, que são feitos reféns para evitar a reação policial. Há suspeitas de que o mesmo grupo criminoso tenha cometido outros assaltos a bancos nos Estados do Maranhão, Piauí e Tocantins. (Fonte: Blog do Dinho Santos).

CASA QUE SERVIA COMO ESCONDERIJO DOS ASSALTANTES
CASA QUE SERVIA COMO ESCONDERIJO DOS ASSALTANTES

CASA QUE SERVIA COMO ESCODERIJO DOS ASSALTANTES  (3)

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo