Polícia

Delegados aprovam greve para o próximo dia 17

(Foto: Jader Paes/Diário do Pará)
(Foto: Jader Paes/Diário do Pará)

Em assembleia geral, delegados de Polícia Civil do Estado deliberaram pela greve da categoria. A comunicação oficial deve ser feita na segunda- feira (9). A assembleia contou com a presença de 128 delegados e foi realizada na noite de ontem, na sede do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do Pará (Sindelp).

Na quinta- feira (12), a categoria paralisa as atividades por 24h, em forma de advertência ao governo. Neste dia haverá manifestação no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. “Vamos fazer um movimento dentro da cidade para recepcionar delegados de outros estados que se fazem presentes no Encontro Nacional de Delegados, promovido pela Polícia Civil”, antecipa o presidente do Sindelp, João Moraes.

Após a paralisação, a categoria vai esperar posicionamento do governo do Estado. Em caso de negativa, a greve será deliberada na terça- feira (17). “Vamos aguardar a resposta do governo e, caso o governo não responda, na terça- feira fica estabelecido o percentual de 30% estipulado em lei”. Agora o sindicato vai adotar as medidas previstas em lei para que a greve seja considerada legal, notificando o Tribunal de Justiça e demais órgãos competentes.

O Pará tem 512 delegados de Polícia Civil, sendo 235 na Região Metropolitana de Belém (RMB). A categoria pede melhoria do espaço físico; aumento de material humano; reajuste salarial de 45% – o salário inicial de um delegado é R$ 9. 200; progressão automática a cada dois anos, com garantia de aumento salarial de 5% a cada mudança de classe.

SOBRECARGA

O presidente da Associação dos Delegados do Pará (Adepol), Fernando Flávio, afirma que o fim da sobrecarga de trabalho dos delegados é um dos principais pontos de reivindicações. “No interior, principalmente, tem delegado que acumula vários municípios. Responde aqui, ali, acolá. Há a sobrecarga sobretudo do diretor, que aos finais de semana responde por qualquer evento que ocorra na cidade”.

Foi montada uma comissão de 11 integrantes, mais os representantes das entidades administrativas, para garantir a legalidade da greve. Além da comunicação prévia de 72h, a categoria antecipa que 30% dos delegados estarão a postos nas delegacias para garantia do serviço essencial.

(Fonte: Diário do Pará)

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo