Deputado Wladimir Costa declara que bateu em cidadão porque ‘não é obrigado a aceitar agressões verbais’, diz partido

Em nota, o Partido Solidariedade disse que o parlamentar é contra agressões, “contudo não se manterá inerte todas as vezes em que for xingado ou agredido fisicamente”.

O deputado federal Wladimir Costa (SD) declarou que “não é obrigado a aceitar agressões verbais com palavras de baixo calão”, em nota divulgada pelo Partido Solidariedade nesta sexta-feira (27) sobre vídeo que circulou nas redes social mostrando ele agredindo um homem em um evento da prefeitura de Jacundá, no sudeste do Pará.

O vídeo mostra o deputado discursando quando reclamou de ser interrompido. Ele diz que vai deixar o cidadão falar ao microfone e então é questionado sobre a tatuagem com o nome do presidente Michel Temer. “Me explica a tatuagem do Temer na tua bunda, por favor?”.

Em seguida, o parlamentar dá um tapa na cara do cidadão e diz “Respeita a cara de homem, vagabundo. Homem safado apanha na cara”. Confira nas imagens.

De acordo com a nota, o deputado havia parado o pronunciamento para se dirigir ao cidadão “num gesto democrático” para oferecer-lhe a palavra e dando oportunidade de se manifestar, “mantendo o bom nível do discurso”.

A nota diz que o parlamentar é contra toda e qualquer forma de agressão, contudo não se manterá inerte todas as vezes em que for xingado ou agredido fisicamente.

Após a confusão, deputado diz que vai continuar o evento e que “pode filmar e botar nas redes sociais”.

De acordo com a assessoria, o deputado fez uma denúncia contra o cidadão à polícia local e disse que pretende acioná-lo na Justiça. O deputado alega que o cidadão havia lhe dado um chute.

A Polícia Civil informou que a vítima das agressões, o professor Therezo de Soyza Neto, compareceu à delegacia de Jacundá, na noite quinta-feira (26), para registrar boletim de ocorrência contra o deputado federal. Ele acusa Wladimir de suposta agressão física. O ex-vereador foi chamado para prestar depoimento e também recebeu encaminhamento para passar por exame de corpo de delito.

O G1 entrou contatou a Prefeitura de Jacundá e o Governo do Pará, que estaria apoiando o evento.

Nota do Sintepp

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação Público do Pará (Sintepp) disse em nota que repudia a agressão do deputado contra o professor Terezo Neto. “Em meio a um evento de inauguração de um parque de diversão para crianças, nada mais constrangedor, paradoxo e repugnante a violência praticada por um personagem de mandato político federal investigado e cassado por corrupção”, diz a nota. O Sintepp disse que agressão ocorreu após a manifestação de protesto do professor, “demonstrando a intolerância e insanidade que lhe é muito peculiar ao longo de sua carreira política”.

O Sintepp diz ainda que “se solidariza ao professor e orienta que se tome as providências cabíveis jurídicas contra este lamentável e triste acontecimento que afronta a democracia do nosso país, principalmente pelos que deveriam zelar e tolerar as reações advindas de um cenário político empobrecido por uma corrupção que debocha do povo brasileiro, como assim o fez o referido deputado da tatuagem”. O sindicado reivindica que a reação de autoridades governamentais e judiciais no caso.

Confira nota do Partido Solidariedade na íntegra

O Deputado Federal Wladimir Costa, do Partido Solidariedade Pará, vem a público se manifestar em relação ao vídeo que está circulando na internet com imagens de uma situação ocorrida no dia 25 de abril na cidade de Jacundá.

Na noite do dia 25, o Deputado Wlad esteve na cidade para participar de uma reunião que contava com a presença de autoridades do município e da população, ocasião em que, além de prestar contas do seu trabalho como parlamentar, realizaria a entrega de um parque infantil e uma academia ao livre, fruto de suas conquistas junto ao governo federal por meio das emendas parlamentares.

O evento em Jacundá é apenas mais um dos inúmeros eventos e reuniões com a presença do Deputado Wlad, que tem se dedicado a visitar todos os 144 municípios do Estado do Pará, levando políticas públicas, entregando obras, títulos de terra, ambulâncias, aparelhos hospitalares, quadras poliesportivas, parques infantis e uma série de benefícios à população paraense.

Porém, desde a sua chegada à cidade, o Deputado Wladimir Costa passou a ser alvo de insultos, xingamentos e ofensas proferidas pelo rapaz que aparece no vídeo sem se identificar (depois chegou a informação de que tratava-se de um professor e ex-vereador de Jacundá muito criticado pela população). Ele estava ali única e exclusivamente para ofender o parlamentar, sem, inclusive, se importar com a presença de crianças, mulheres e idosos que faziam parte da reunião.

Diante dos inúmeros insultos e agressões verbais, o Deputado Wlad parou o seu pronunciamento e se dirigiu até o agressor e, num gesto democrático, ofereceu-lhe a palavra, dando-lhe a oportunidade de se manifestar, mantendo o bom nível do discurso.

Entretanto, ao se aproximar do agressor no momento em que lhe concedeu a palavra, o Deputado foi novamente ofendido em sua moral ao ser questionado sobre a existência de uma “tatuagem em sua bunda”, além de levar um chute do ex-vereador.

Diante dessa sequência de ofensas, por se tratar de uma pessoa pública, que estava ali naquele momento no uso de suas atribuições como parlamentar, mas acima de tudo como homem, pai de família e cidadão, o Deputado Wlad reagiu como forma de compelir a injusta agressão que vinha sofrendo. A reação a ofensas descabidas a homens públicos já foi vista, inclusive em outros casos, quando políticos, incluindo um deputado e um senador, se sentiram agredidos e precisaram se defender.

É importante destacar também que, ao contrário do que muitos têm dito sobre homens que seguraram o rapaz após o ocorrido, o deputado não tem seguranças e nunca anda acompanhado de qualquer pessoa com esse fim. Portanto, não tem qualquer relação com aqueles homens.

No mais, vale ressaltar ainda que o Delegado de Polícia da cidade de Jacundá estava presente no local, justamente por ter sido acionado pela própria população, a fim de conter as agressões verbais que vinham sido propagadas pelo ex-vereador. Mas o agressor não respeitou nem sequer a presença da autoridade policial e continuou desferindo palavrões e ofensas na presença de todos.

O deputado declara também que aceita receber críticas respeitosas de qualquer cidadão, mas não é obrigado a aceitar agressões verbais com palavras de baixo calão. O parlamentar informa que já denunciou o agressor à polícia local e pretende acioná-lo na Justiça, acreditando na isenção das autoridades policiais, do Ministério Público e do Judiciário.

Por fim, o Deputado Wlad faz questão de pontuar que continuará percorrendo o Estado do Pará no seu papel de parlamentar eleito por 4 mandatos consecutivos, bem como que é contra toda e qualquer forma de agressão, contudo não se manterá inerte todas as vezes em que for agredido, seja verbal ou fisicamente.

G1/PA

SEM COMENTÁRIO