Dia das Mães sangrento no presidio de Redenção no Pará, presos assumem a Unidade Prisional esquarteja corpo de detento e mantém agentes reféns

Foto: Presídio de Redenção/Correio de Carajás

Rebelião envolve integrantes do CV – Comando Vermelho e PCC – Primeiro Comando da Capital

Nesse domingo 12 de maio de 2019, é um dias especial, dia esse que se comemora o dia das mães. O dia que seria só de alegria para as famílias brasileiras, não começa assim para as famílias que tem parentes presos no CRR – Centro de Recuperação Regional de Redenção (presidio).

No inicio da manhã desse domingo detentos iniciaram uma rebelião sangrenta na unidade prisional com pelo menos 5 ou mais detentos mortos. As informações chegam a nossa redação através do apresentador do Programa Fala Cidade do SBT Xinguara, Celso Lima. O apresentador esteve em frente ao Presídio logo pela manhã e de lá ele relata a gravidade da situação entre os detentos rebelados. Segundo Celso Lima a situação é muito tensa dentro do presídio, “eu recebi vídeos de dentro do presídio e segundo as informações de policiais dão conta de que a rebelião é realizada com muita violência, os policiais afirmam que a mortos lá dentro, não podemos dar números exatos, pois ainda não temos essa informação oficial, mas já foi confirmado que, foi jogado na recepção do presídio parte de um corpo e um coração humano, as informações dão conta de que corpos estão sendo esquartejados e membro do estão sendo colocado dentro dos corpos abertos”.

Celso lima teve informação de que a rebelião envolve integrantes do CV – Comando Vermelho e PCC – Primeiro Comando da Capital, tudo leva a crer que, o PCC está em numero inferior ao CV. Uma informação não oficial, apenas relatos de familiares de presos, que o nome do diretor do presídio pode estar ligado à rebelião.

Outra informação que chega a nossa redação é de que, pelo menos 5 agentes prisionais foram feitos reféns e que um detento identificado apenas como Maxuel, foi morto, segundo a informação esse preso havia sido transferido do estado da Bahia e era integrante do PCC – Primeiro Comando da Capital. O preso teria sido assassinado de maneira macabra, teve a cabeça decepada e o coração arrancado e depois jogados no corredor da prisão.

Do lado de fora, famílias se reúnem em oração pela vida dos reféns e dos próprios agentes. Como o dia seria de visitas, a movimentação é grande no local.

As autoridades já negociam a rendição dos criminosos, mas ainda não foi repassada à imprensa quais são as principais exigências dos presos. Os detentos colocaram fogo em colchões e a fumaça assusta quem passa pelo local.

Com informações de Celso Lima SBT Xinguara e do Portal Fala Serio

SEM COMENTÁRIO