Esporte

Esquema na base do Corinthians cobrava por escalação

Pai de ex-treinador das divisões inferiores do clube é apontado como responsável direto por cobrar suborno de até R$ 50 mil para influenciar na escalação de jovens jogadores

Por meio do pagamento de até R$ 50 mil como forma de suborno, jovens jogadores da base do Corinthians tinham mais oportunidades de jogar na categoria sub-17 até o ano passado. A denúncia realizada nesta sexta-feira não é a primeira que envolve corrupção nas divisões inferiores do clube, que já se viu envolvido em duas graves acusações em 2016: um empresário que pagou e não recebeu parte dos direitos econômicos de um jogador e outro atleta contratado mesmo diante de relatório negativo da comissão técnica, mas “apadrinhado” por um conselheiro influente na diretoria.

Desta vez, um homem identificado como Carlos agia nos bastidores para cobrar de familiares dos jogadores quantias em dinheiro que seriam divididas entre funcionários do clube e facilitariam a carreira dos jovens no Corinthians. De acordo com apuração do site Globoesporte.com, o tal Carlos na verdade é Wilson Zaponi Gomes da Silva, pai de Marcio Zanardi, ex-técnico da equipe sub-17 do clube.

– Se der um incentivo lá, é evidente que eles vão colocar o moleque para jogar, vão preparar o menino para estar lá junto. O que os caras querem é aquela grana que te falei. Senão, os caras… É uma coisa. Cada um já fez a sua parte. Acredito que o valor que vai ser investido é uma m…, pelo investimento que vai ser feito (…) Você pensa que é brincadeira? É dez “pau” cada um – diz o operador do esquema, em conversa gravada com Luiz, um interlocutor não identificado, e David Lopes Rodrigues, pai de um garoto do sub-17 chamado Felipe.

– Se você não der um dinheirinho, você se f… Precisa dar o dinheiro, senão não temos como prosseguir lá. Não é sacanagem o que estou falando, estou falando a verdade. Você precisa fazer uma forcinha para que as coisas caminhem direitinho, para que as coisas sejam boas. Não tem outra maneira de ser – relata.

Um comprovante bancário de transferência de R$ 20 mil de David a Wilson Zaponi, identificado nas gravações como Carlos, atesta a identidade do pai do treinador, que nega relação com o caso. Márcio Zanardi não dirige o sub-17 do Corinthians desde novembro de 2016, pouco após a entrada de Fausto Bittar Filho como coordenador da base. O dirigente, aliás, foi alçado ao cargo como responsável por uma moralização da base após diversas denúncias de corrupção.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo