JustiçaNotícias

Família busca na Justiça direitos trabalhistas de parente morto em uma fazenda no Pará

Por Roserval Ramos

20151021121006Ocorreu na manhã desta quarta-feira, 21, na Vara do Trabalho de Xinguara, sob a presidência do Juiz titular Saulo Marinho, a audiência inaugural do processo que a família de Welbert Cabral Costa, move contra a Agropecuária Santa Bárbara. A família alega que Welbert Cabral foi assassinado na portaria da Fazenda Barra do Triunfo, na zona rural do município de São Felix do Xingu, o crime aconteceu no dia 24 de julho de 2013, após a vítima ter sido atraída por um gerente da fazenda para um acerto de conta. O corpo de Welbert foi ocultado e só foi encontrado pela policia no dia 22 de agosto após uma denuncia anônima, o caso ganhou grande repercussão na imprensa nacional.

Retrato de Welbert Cabral Costa (Foto: arquivo pessoal)
Retrato de Welbert Cabral Costa (Foto: arquivo pessoal)

Segundo informou a Advogada Regina Zarpellon, que integra o escritório que patrocina a família, a audiência de hoje foi transferida para que ocorra intimação de testemunhas por Carta Precatória e uma próxima sessão foi designada para o dia 01 de março de 2016. “A família busca na Justiça os direitos trabalhistas do trabalhador Welberte, o que motivou sua morte, estamos confiantes que será feito justiça”, afirmou Regina Zarpellon.

À época do crime, entidades da sociedade civil e movimentos sociais denunciaram o crime e cobraram agilidade nas investigações do caso. Welbert Cabral tinha 26 anos de idade, ele deixou a esposa e quatro filhos pequenos, o mais velho deles com 5 anos de idade, Welbert vivia com a família em Xinguara (PA), a pouco mais de 250 km do município onde foi assassinado.

Familiares de Welbert Cabral protestaram na porta da Vara do Trabalho de Xinguara. A mãe, irmãs, filhos e outros parentes de Welbert seguravam faixas com frases de protesto contra a morte do tratorista.

20151021121008

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo