NotíciasSegurança Pública

Governador reforça pessoalmente a Sérgio Moro pedido da Força Nacional

O governador do Pará, Helder Barbalho, reuniu na tarde desta quarta-feira, (16), com o ministro da justiça, Sérgio Moro, para reforçar, pessoalmente, o pedido de apoio da Força Nacional ao Pará, feito no dia 2 de janeiro como primeiro ato de governo. Ele foi acompanhado do secretário de estado de Segurança Pública, Uálame Machado, e ouviu de Moro e seus auxiliares algumas alternativas para agilizar o envio da tropa, que por enquanto está com quase todo o efetivo no estado do Ceará.

De imediato, Moro vai destacar o envio de um oficial federal ao Pará a fim de traçar o detalhamento da estratégia que será implementada no Estado. A estimativa para que as tropas cheguem ao Pará é, em princípio, março deste ano. Nesse tempo, o governo federal poderá atender o pedido de duas formas: ou reduz o quantitativo do Ceará, assim que a situação estiver sob controle, ou o Pará aguarda o término de outra missão, na qual 147 agentes da Força Nacional atuam. A ação é desempenhada no interior do Pará a serviço de operações da Funai, ICMBio, Ibama, para que estes possam ser deslocados para atuar no enfrentamento à violência nos bairros mais críticos da Região Metropolitana de Belém.

Para o governador Helder Barbalho, a reunião com o ministro foi positiva para o objetivo de combater de forma ostensiva a violência no Pará. “O ministro sinalizou, com um planejamento de cooperação, a construção de um ambiente de segurança no Pará. Estamos fazendo o dever de casa desde o primeiro dia de governo, quando ampliamos a presença da polícia, fazendo deslocamento de efetivo, retirando de áreas administrativas policiais para estarem nas ruas, retirando veículos na mesma situação para fazer o patrulhamento móvel. Estamos dialogando com outros poderes para reconvocar policiais que estavam deslocados para outras áreas, e estamos certos que a parceria com o governo federal é determinante para que possamos fazer o enfrentamento nas ruas e, em paralelo, a gestão do sistema prisional para diminuir a interlocução do sistema penal com outros delitos que ocorrem fora dos muros dos presídios”.

-Matéria continua depois da Publicidade-

O secretário Uálame Machado afirmou que, a pedido do ministro Sergio Moro, também foi readequado o número de agentes solicitados. “Nós relatamos ao ministro que atendemos a recomendação dele e redefinimos o quantitativo de 500 para 200, e redefinirmos a área de atuação inicial para a Região Metropolitana de Belém. Em resposta, o ministro Moro disse que é sensível ao nosso pedido, que deverá ser atendido tão logo esse passo-a-passo da conclusão das agendas já iniciadas seja cumprido pela Força Nacional”, ressaltou o secretário.

Números – Entre os argumentos apresentados na fala do governador do Pará, Helder Barbalho, estão os números da violência no Estado. “Números que colocam nosso estado como um dos mais violentos do Brasil. Falamos de uma média de 51 assassinatos para cada 100 mil habitantes, o que já difere dos 30 assassinatos por cada 100 mil habitantes, que é a média do País. Belém chega a 77 por cada 100 mil, e alguns bairros da capital, já identificados, ultrapassam 125 assassinatos por cada 100 mil habitantes. A ideia é que nessas comunidades, já identificadas nós possamos aumentar a presença do efetivo com o apoio da Força Nacional de Segurança”, disse.

O governador ressaltou que tratou ainda da possibilidade de ter o apoio logístico do Exército para ajudar nas ações de segurança. “Não na operacionalidade, mas sim na logística, que é uma faculdade que o governo federal sinaliza e eu farei contato ainda hoje com o Ministro da Defesa para que eu possa ter o apoio logístico dos batalhões do exército que estão localizados na Região Norte e particularmente em Belém”, disse o governador.

Texto e Fotos: Agência Pará

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar