Notícias

Governo do Estado e Governo Federal avaliam ações de combate ao desmatamento ilegal e queimadas no Pará

Em cumprimento de agenda oficial nesta segunda-feira (8), o governador Helder Barbalho se reuniu com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, em Marabá, para avaliar as ações ocorridas durante a operação “Verde Brasil 2”, realizada no mês de maio e que deve ocorrer no Estado em paralelo as ações estaduais.

Em entrevista coletiva, o governador do Pará afirmou que o movimento, que é liderado pelas forças armadas, é muito importante.

“A antecipação do calendário de operações para maio é fundamental. Principalmente se tratando sobre desmatamento ilegal e queimadas no Estado. A antecipação da Verde Brasil, precisa ser valorizada. Nos cinco primeiros meses do ano o desmatamento já é maior do que em todo o ano passado. O ato de antecipar a fiscalização reforça que é uma ação para conter o avanço do desmatamento e das queimadas”, destacou Helder Barbalho. 

Para o vice-presidente, que também preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal, as operações ainda não encerraram e vão continuar nas áreas federal. “Nós vamos prosseguir com as operações para combater, inclusive, as queimadas no segundo semestre. Agora a operação segue para análise das áreas e num segundo momento vamos agir. A mata foi derrubada e agora vamos impedir que a madeira seja queimada, evitando assim a péssima imagem que passamos ao mundo todo, afirmou Mourão.

Sobre o desmatamento, Mourão afirmou ainda que as autoridades reconhecem a existência do problema. “O desmatamento ilegal é um problema grave. A estratégia parte da repressão e fiscalização, mas para isso precisamos ter gente. Precisávamos avançar na regularização ambiental. Além de avançar na assistência técnica”, complementou.

Em relação as ações realizadas no Pará, Helder disse que elas continuam, e não apenas no campo da repressão. “Em paralelo a presença da Polícia Militar e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, estamos alinhando com a força estadual operações em vários municípios e regiões. Também estamos com a estratégia ‘Amazônia Agora’, para mudar a nossa chave econômica. Aqui temos um índice baixo de ocupação de gado na terra. Estamos trabalhando para que a produção deixe de ser extensiva e passe a ser intensiva”, explicou. 

Sobre o os caminhos para a mudança do cenário de desmatamento ilegal e para o crescimento técnico, o governador do Pará completou. “Estamos buscando apoio tanto nos municípios quanto na esfera federal para ir além da fiscalização. Precisamos enfrentar e resolver o cenário. É fundamental realizar uma transformação social. A transversalidade das ações estaduais, federais e municipais é fundamental para o desenvolvimento sustentável”, disse.

Na agenda desta segunda-feira (8), o chefe do executivo paraense e o vice-presidente participaram de uma vídeo conferência com os demais Comandos Conjuntos da Operação com integrantes de todas as agências participantes. Além disso, durante a tarde, um sobrevoo foi realizado sobre as áreas da operação de combate ao desmatamento e queimadas.

O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, e o titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Suscetibilidade, Mauro O’de Almeida também acompanharam o governador na programação do dia.

“O Estado está intensificando as ações de repressão ao desmatamento ilegal, mas também reforçando as estratégias de trazer a luz os produtores que estejam trabalhando de forma adequada. Por isso, além da ações de comando e controle, uma das nossas prioridades é desenvolver a Política Estadual Território Sustentáveis”, frisou o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade Mauro O’de Almeida.

Fonte: Agencia Pará/Texto: Ronan Frias (COHAB)

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo