Homem foi encontrado morto em Xinguara, com requintes de crueldade

Professor Marcio Cleber da Cunha, de 37 anos de idade

Na manhã de sexta-feira 28 de setembro, o corpo de um homem fio encontrado em Xinguara, sudeste do Pará, próximo ao parque de exposição da cidade. O corpo foi encontrado por trabalhadores que executava serviços próximo ao local, as Polícia Militar e Civil foram acionadas.

O homem encontrado foi morto no período da noite de quinta para sexta-feira, o seu ou os seus agressores e assassinos usaram de requintes de crueldade para matar o homem, que depois de ter sido removido do local do crime pela por uma funerária, foi identificado como sendo o professor Marcio Cléber da Cunha, de 37 anos de idade, foi constatado também que, Márcio Cléber era lotado na prefeitura de Rio Maria, cidade vizinha de onde o corpo dele foi encontrado.

Nossa equipe de reportagem esteve no local onde foi encontrado o corpo do professor, acompanhando a Polícia Civil, e pode constatar que, Márcio estava com várias perfurações no rosto e traumatismo craniano grave, quem cometeu o crime não atingiu outra parte do corpo a não ser a cabeça de Márcio. No local também estava três pedaços de madeira sujos de sangue, provavelmente usados para assassinar o professor.

Márcio Cléber morava em Rio Maria, mas era de Belém, onde todos seus familiares moram e para onde seu corpo foi trasladado para ser velado e sepultado pela família.

Márcio era bastante conhecido na cidade de Rio Maria, onde trabalhava na secretaria de educação do município e era muito querido por onde lecionava, em 2016 o professor Márcio disputou uma vaga na câmara de vereador de Rio Maria, mas não conseguiu se eleger. Logo que a notícia de sua morte se espalhou pelo WhatSapp, pessoas começaram se aglomerar na porta da Delegacia de Polícia Civil de Xinguara, para querer entender o que poderia ter motiva o assassinato com tanto requinte de crueldade. A população riomariense lamenta a trágica morte do professo Marcio.

Na manhã desse sábado (29), antes do fechamento dessa matéria, nossa redação entrou em contato com agente funerário que está encarregado de traslada o corpo até a capital paraense, o agente informou que ainda está no IML de Marabá, aguardando a liberação do corpo da necropsia para ser preparado em uma funerária, para então poder seguir viagem. O corpo do professor Márcio deu entrada no IML por volta de 19 horas, de sexta-feira, mas como não tinha mais medico não foi possível a realização do exame.

A Polícia Civil está trabalhando nas investigações para elucidar o caso e assim pegar os autores do assassinato.

SEM COMENTÁRIO