Notícias

Índios interditam principal acesso ao projeto de mineração Onça Puma

Eles denunciam a contaminação do rio Cateté, que abastece 3 aldeias.
Índios pedem indenização.

Nesta quarta-feira (23), cerca de 500 índios xicrins da região do Cateté interditam o principal acesso ao Projeto de Mineração Onça Puma, que pertence a Vale, em Ourilândia do Norte, sudeste do estado.

Os manifestantes denunciam a contaminação por metais pesados do rio Cateté, que abastece três aldeias da região. A Vale informou que já enviou documentos técnicos a órgãos responsáveis, que comprovariam que a atividade mineradora na região não geraria danos ao rio Cateté.

De acordo com os índios, uma das principais consequências da exploração de minérios como o cobre o níquel na região seria o desaparecimento dos peixes. Os indígenas pedem indenização pelos prejuízos causados ao meio ambiente, e dizem que só vão deixar o local depois de uma resposta da empresa. A Vale ressaltou em nota que já repassou aos indígenas cerca de R$ 13 milhões por ano para projetos nas comunidades e que continua aberta ao diálogo.

G1/PA

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo