JustiçaNotíciasPolícia

Justiça manda prender mãe que espancou e torturou filha de 6 anos, em Xinguara

Acusada: Mariana Coelho Medrado

Nessa quinta-feira (15), o caso da mãe que foi flagrada maltratando sua filha de 6 anos de idade, voltou as paginas policiais de Xinguara. A Polícia Civil do Estado do Pará, através da Delegacia de Polícia de Xinguara, prendeu por volta de 11 horas de hoje, a senhora MARIANA COELHO MEDRADO, a prisão aconteceu na Rua Marechal Cordeiro de Farias Nº 709, no centro da cidade, em cumprimento de Mandado de Prisão Preventiva, pela a prática de crime de “TORTURA”. O mandado de prisão foi expedido pelo magistrado César Leandro Pinto Machado, Juízo de Direito da Comarca.

O caso que repercutiu nas redes sociais e nos noticiários a nível nacional, aconteceu no ultimo sábado, 9 de março. Mariana agrediu sua filha em diversas ações, como espancamento e tortura. As agressões perduraram por tempo suficiente para um vizinho fazer vídeos de toda monstruosidade ocorrida.

O fato chegou ao conhecimento das Autoridades por meio das redes sociais no mesmo dia em que aconteceram as agressões, causando grande repercussão e clamor social, chegando a ser divulgado na mídia nacional.

O Delegado Max Muller, responsável pela as investigações disse que o caso agora está nas mãos da Justiça, “em cumprimento ao mandado de prisão fomos atrás da acusada, recolhemos ao xadrez dessa delegacia, instauramos o inquérito policial e comunicamos a Justiça. Agora a acusada continuara presa à disposição da Justiça, provavelmente ela será transferida para um presidio em Marabá”, afirmou o Delegado.

Mariana não quis falar sobre o assunto quando foi procurada para ser entrevistada, mas disse em off que, “o que aconteceu não é tudo que está naquelas imagens, eu já fui julgada pela população sem mesmo antes de ser ouvida por um Juiz, por isso não vou dar entrevista”, afirmou ela aos prantos.

https://youtu.be/GfAKlUMd0j4

A equipe responsável pelo comprimento do mandado de prisão: estava composta pelo Delegado Max Muller de Melo Bezerra, os investigadores Dênis Lisboa, Roger H. Lehmkuhl, Alan Amorim e Amilcar Viana. Completada pelos escrivães Paulo Cardoso e Hugo Deleon.

Texto: Roserval Ramos, com informações da 14ª RISP – SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ALTO XINGU.

Foto: Polícia Civil.


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo