Manobra para aprovar projeto na Câmara Municipal de Xinguara deixa vereador indignado

Vereador Roberto da Yamaha (PR), diz que foi vítima de um jogo sujo, arquitetado sorrateiramente

Ao usar a tribuna na Sessão do dia 5 de fevereiro, segunda Sessão Ordinária de 2019, o vereador Roberto da Yamaha (PR) fez um discurso de insatisfação com a aprovação do projeto de reforma de cargos e salários dos servidores públicos da Câmara Municipal. O mesmo projeto foi apresentado no final de 2018, mas, naquele momento os vereadores acharam por bem não aprovar o projeto sem antes passar por alguns reajustes.

Durante o discurso do vereador do PR, ele fez questão em afirmar que a Câmara Municipal não é propriedade de nenhum dos vereadores e sim, é uma casa do povo. Roberto da Yamaha afirmou que foi feito uma verdadeira manobra para beneficiar interesses de poucos. “Eu me sinto traído por confiar em meus pares”, afirmou o parlamentar.

___________ MATÉRIA CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ___________

Entenda parte do que diz o vereador em seu discurso

“O projeto que não foi aprovado no final de 2018, agora no início de 2019 passou por alguns reajustes conforme o entendimento de cada vereador para ser levado a plenária para votação, mas depois de passar pelas comissões veio a grande sujeira, de forma covarde, sorrateira e de forma orquestrada me deixaram de fora das comissões, alegando que por eu estar ocupando o cargo de vice-presidente dessa casa eu não poderia participar, fizeram isso porque sabiam que eu jamais concordaria com o que eles tramavam, pois as alterações que seriam feitas já estavam planejadas mesmo antes do projeto ser reapresentado”.

“Pasmem sociedade xinguarense e companheiros vereadores, digo companheiros vereadores para aqueles que não fizeram parte dessa trama ou foram enganados como eu fui. Privilegiar um grupo de servidores ou servidores de determinados cargos com quase 100% de reajuste de seu salário base e aos demais 0%. Isso é inaceitável, pois nada disso estava no projeto anterior, isso que fizemos não poderia acontecer, digo fizemos porque eu fui induzido ao erro como outros vereadores, havíamos combinado que o projeto estava pronto e só faltava ser aprovado, pois já constava os benefícios para todos os servidores. Só pude perceber o jogo sujo, quando me dei conta de que, o parecer final desse projeto foi tratado em absoluto sigilo, servidores que sempre fizeram assessoria, nos apresentando a melhor forma de fazer os pareceres, ficaram de fora, se quer tiveram conhecimento do que estava sendo tramado. População xinguarense a você peço meu perdão, aos servidores que não tiveram o mesmo tratamento no parecer final desse projeto, minhas desculpas, lutarei junto para que todos sejam assistidos pelos mesmo benefícios, a Lei não permite distinção entre as pessoas. Aos meus pares se assim como eu foram induzidos ao erro, fiquemos mais atentos, na política não podemos confiar, não podemos deixar que decidam por nós, decidimos por acreditar ou precisamos ouvir as vozes das ruas para decidir, sabe-se lá qual a negociação que aconteceu o parecer final desse projeto com tamanha aberração. O que se ouve pelos corredores dessa casa, é que minha carreira política será curta, pode até ser, mas continuarei com pensamentos e atitudes de fazer as coisa da forma correta. Não me curvarei para a velha política, a política do toma lá dá cá”, finalizou o vereador Roberto da Yamaha.

O parlamentar falou com nossa reportagem e deixou claro, “confesso que ouve falha da minha parte, mas irei a todas as instâncias para que essa atitude covarde não fique em pune”.

Texto: Roserval Ramos

Foto: André Silvestre  

SEM COMENTÁRIO