Política

Marabá: Prefeito Salame continua na corda bamba da cassação

A queda de braço está difícil e chegou ao quarto round no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA), onde o prefeito de Marabá, João Salame Neto, enfrenta um processo por doação irregular de combustível (conduta vedada) na campanha eleitoral de 2010, quando concorria à reeleição para deputado estadual pelo seu ex-partido,  PPS.

Salame vive momento de insônia
Salame vive momento de insônia

No inicio da tarde de terça-feira (29), um novo episódio no tribunal adiou, pela quarta vez, a decisão do caso. É que o voto da relatora e revisora, há cerca de um mês, manteve o placar da “batalha judicial” 2 a 0 contra Salame e o julgamento foi adiado porque um desembargador pediu vistas do processo. Depois, o tema não chegou a entrar em votação em outras três ocasiões diferentes.

Na quarta-feira (30), outros dois desembargadores foram favoráveis ao prefeito de Marabá e, na hora de decidir o caso com voto de minerva, o presidente do Tribunal, Leonardo de Noronha Tavares (foto) pediu vista do processo e o caso foi adiado mais uma vez, deixando Salame com o coração na mão.

Será mais uma semana de “guerra fria” nos bastidores, pois segundo fontes do judiciário, o governador Simão Jatene, desafeto político declarado de Salame, teria interesse em “derrubar” o prefeito de Marabá do cargo e provocar novas eleições no município. (Paulo Costa – de Marabá/Fonte Otavio Araújo).

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo