Polícia Militar

MARABÁ: Trio é preso acusado de assaltar loja de celulares

Eles teriam vindo de Itupiranga para cometer crimes em Marabá. Só não contavam com a ligeireza dos policiais lotados no 34º BPM e também no 1º BME

A casa caiu para os indivíduos identificados como Wesley Moraes (27 anos), Romário Brasil Lima (25) e Marco de Oliveira. Eles foram presos no início da noite desta segunda-feira (7), acusados de assaltar uma loja de celulares no Núcleo Cidade Nova, em Marabá. Os criminosos vieram de Itupiranga para cometer o crime na loja que fica localizada na Avenida Transamazônica.

De acordo com a Polícia Militar, os criminosos foram descobertos depois que uma guarnição do 34º Batalhão de Polícia Militar (34º BPM) recebeu a informação sobre as características do veículo usado no roubo e conseguiu localizar o automóvel. Ainda segundo a PM, os criminosos estavam em quatro, mas um deles conseguiu fugir, levando uma das armas usadas no crime. Apenas o outro revólver foi apreendido.

Além dos policiais lotados no 34º BPM, que fazem o patrulhamento de motos (chamados de mike 01), também atuaram na missão que resultou na prisão, os policiais do 1º Batalhão de Missões Especiais (1º BME).

Prova material do crime foi recuperada e utilizada para robustecer o flagrante

O crime

Ouvido pela reportagem deste CORREIO, um dos funcionários da loja contou que dois assaltantes entraram como se fossem clientes que pretendiam comprar uma capa para celular. No meio do atendimento anunciaram o assalto e mandaram os trabalhadores deitarem no chão.

Nessa hora um terceiro criminoso entrou na loja, falando ao telefone com um quarto integrante do bando, questionando pelos Iphones da loja, mas eles não levaram nenhum celular. Roubaram R$ 5 mil em dinheiro que estava no caixa e fugiram.

Na delegacia, o funcionário da loja reconheceu os criminosos presos, mas disse que possivelmente, pela movimentação que ele viu, é possível que o bando fosse composto por cinco elementos.

(Correio/Chagas Filho)

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo