NotíciasPolícia

Mulheres presas com maconha dentro de ônibus em Xinguara serão transferidas para Marabá

img-20161013-wa0075O delegado da Polícia Civil de Xinguara, José Orimaldo Farias, falou sobre a prisão de drogas no terminal rodoviário do município na quinta-feira 13. Segundo o delegado, uma denuncia anônima chegou até a Polícia Militar de que, duas mulheres estariam transportando em umas malas uma quantidade de entorpecente conhecido como maconha, uma guarnição da PM sobre o comando do Major Keythison Valente, subcomandante da Polícia Militar de Xinguara, foi até ao local para averiguar a denuncia.

O delegado afirmou que os policiais militares encontraram em uma mala que pertencia as duas mulheres, duas parras do entorpecente “maconha”, desconfiados de que poderia haver mais drogas escondida nas malas, o cão farejador “Huck” de propriedade do soldado Ariosmar e presta serviços a PM entrou em ação.

“Foi então que Huck encontrou mais três barras de maconha, diante do flagrante foi dado então voz de prisão para as duas acusadas e posteriormente as duas foram apresentadas a esta autoridade policial”, disse o Delegado.

Em relação a uma terceira pessoas que também foi presa na mesma ação, o Delegado disse que se tratava de um usuário viciado que foi identificado como João de Deus dos Santos Mota, de 21 anos, no momento da abordagem se apresentou aos policias por conta própria e disse ser viciado em drogas e que portava duas “mucas de maconha” como é chamado no mundo do trafico, após entregar a droga para a polícia o viciado foi conduzido até a delegacia e após ser ouvido foi liberado. Já as duas mulheres identificada como, Daniela Damasceno de Sousa, de 24 anos e Suely de Sousa Pereira, de 34 anos de idade, que, disseram em depoimento que estava indo com destino a um garimpo na região de Ourilândia do Norte, com o intuito de trabalhar, foram autuadas em flagrante por trafico de drogas. O Delegado falou também que por não ter área carcerária feminina as acusadas serão transferidas para um presidio na cidade de Marabá.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo