Protesto

O advogado Rivelino Zapelon continua em greve de fome

Dr. Rivelino Zarpelon sendo atendido pelo médico Dr. Rodrigo Gundim (foto: Edmar Brito)
Dr. Rivelino Zarpelon sendo atendido pelo médico Dr. Rodrigo Gundim (foto: Edmar Brito)

Já se passaram 27 horas que o advogado Dr. Rivelino Zarpelon, iniciou uma greve de fome em protesto contra o Juiz de direito da comarca de Xinguara, José Adilson Gomes Pereira. O presidente da OAB, subseção Xinguara, Dr. Cicero Sales, falou com a nossa reportagem na manhã dessa quarta-feira (09), o presidente explicou como anda as negociações sobre as reivindicações feitas pole Dr. Rivelino Zarpelon contra o Juiz de direito de Xinguara José Adilson Gomes Pereira. A pedido da OAB, junto a Secretaria de Saúde do município, o advogado em greve de fome tem recebido cuidados médico, está sendo acompanhado por profissionais da saúde, recebendo alguns medicamentos contra dores e também recebe doses de glicose.

Presidente da OAB Xinguara Dr. Cícero Sales
Presidente da OAB Xinguara Dr. Cícero Sales

Cícero Sales: Ontem mesmo tivemos um retorno à manifestação do Dr. Rivelino, a corregedoria do interior baixou uma portaria instaurando uma sindicância para investigar as denuncias formulada pelo Rivelino. A partir desse momento o que vai ser tratado com a corregedoria não vai ser só as denuncias de corrupções apontadas pelo Dr. Rivelino Zarpelon, mas também varias outras denuncias que a OAB já representou o Juiz José Adimilson perante o CNJ, vamos também colocar em discussão essas denuncias, que é tratamento mal para com os advogados ferindo o estatuto da advocacia que diz que entre Juiz, Advogado e promotores não a nem uma hierarquia, todos tem que ter tratamentos iguais.

Dr. Rivelino Zarpelon recebendo medicamento
Dr. Rivelino Zarpelon recebendo medicamento

Também temos uma reivindicação, que é a retirada do policial que fica na porta do gabinete, porque a presença daquele policial controlando a entrada do advogado fere literalmente o estatuto da advocacia, que diz que o advogado tem livre acesso em qualquer repartição publica, seja ela judicial ou administrativa, sem precisar pedir licença ou autorização para ninguém. E aqui no gabinete da primeira vara da comarca de Xinguara, o Juiz José Adimilson fixou um policial militar fardado, armado controlando e autorizando, ou desautorizando a entrada dos advogados no gabinete ou na sala de audiência e isso é ilegal.

Zarpelon em entrevista a TV Record Xinguara na manhã dessa qurta-feira
Zarpelon em entrevista a TV Record Xinguara na manhã dessa qurta-feira

E essas insatisfações dos advogados vão ser pautadas perante a corregedora, o que vai ser assunto da pauta também é a maior das insatisfações dos advogados, que é com relação o juiz ostentar uma arma de fogo tipo “PISTOLA”, durante as audiências, isso tem causado temor, constrangimento as partes que alegam que ao ver a arma se sente constrangidas, isso é natural do ser humano ao ver uma pessoa comum de posse de uma arma de fogo. A uma denuncia também de que o juiz tem usado indevidamente a Polícia Militar, como segurança pessoal, pelo que a OAB já apurou e até o momento não se sabe que ele tem nem uma ameaça e nem esteja fazendo parte de nem um programa de proteção, em razão disso ele não pode usar um policial para fazer sua segurança pessoal. As denuncias chegaram a OAB, e quando se recebe uma denuncia de um advogado a entidade têm que repassar, essas denuncias são de que ele tem usado o policial para ir almoçar, para ir à academia e essa ação policial é totalmente estranha, uma vez que o policiamento do Fórum é para fazer a segurança das partes, Juízes, Promotores e advogados. Palavras do presidente da OAB Xinguara, Cícero Sales.

Pré reunião após o presidente da OAB ter falado com a Corregedora
Pré reunião após o presidente da OAB ter falado com a Corregedora

No momento em que o Dr. Cícero Sales concedeu esta entrevista, aguardava a chegada de representantes da corregedoria do interior, mas a informação que chegou até nossa equipe antes do fechamento dessa matéria, é de que já se encontra na Comarca de Xinguara, a Juíza Auxiliar da Corregedoria do Interior, a Drª. Rubilene Silva Rosário. As oitivas já se iniciaram, está acontecendo no Fórum, a OAB esperava que todos os advogados que estão insatisfeitos com o magistrado, fossem ouvidos, mas isso não será possível, nesse caso apenas oito advogados serão ouvidos pela corregedora, ou seja, o Dr. Rivelino Zarpelon e mais sete colegas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo