Polícia

O homem que matou o ex-vereador de Xinguara, “Biro-Biro”, já está no Pará

Manoel Pereira de Oliveira (O homem responsável pela morte do ex-vereador Biro-Biro)
Manoel Pereira de Oliveira (O homem responsável pela morte do ex-vereador Biro-Biro)

Os investigadores da Polícia Civil, Silvio André de Xinguara e Denilson da Paixão da delegacia de Redenção, viajaram mais de 1.400 km até a cidade de Luziania no Estado de Goiás, onde estava preso, Manoel Pereira de Oliveira, de 39 anos de idade, assassino do ex-vereador de Xinguara, Elpídio Ferreira da Silva, o “Biro-Biro”, como era conhecido no meio político, morto com um tiro no dia 06 de fevereiro de 2013, na PA 279, próximo à cidade de Xinguara onde morava com sua família, o crime aconteceu por volta de 12 horas de dia.

Manoel Pereira de Oliveira, que estava sendo procurado pela Polícia como principal suspeito de ter cometido o crime contra o ex-vereador, foi preso no dia 28 de fevereiro de 2014, exatamente há um ano e vinte dois dias, após ter cometido o crime de assassinato. A prisão de Manoel se deu através do belíssimo trabalho de investigação da Polícia Civil do Pará, que descobriu que o criminoso estava morando na cidade de Luziania de Goiás. Após todo trabalho de levantamento, ter dado a Polícia do Para, a certeza de que o homem procurado era mesmo o que estava em Goiás, bastou o delegado superintendente da Polícia Civil do Sul do Pará, Dr. Antônio Miranda, entrar em contato com a Polícia Civil de Luiziania, para Manoel ser preso.

“Biro-Biro”, (vítima)
“Biro-Biro”, (vítima)

O preso chegou à delegacia da Polícia Civil em Xinguara, por volta de 04 horas da madrugada desta terça-feira (06), onde pela manhã foi ouvido em depoimento pelo delegado de plantão Dr. Luiz Antônio. Que após ouvir Manoel Pereira, deu o caso Biro-Biro por elucidado, uma vez que o criminoso confessou ser o autor e único responsável pela a morte do ex-vereador.

Em entrevista a imprensa local, Manoel Pereira de Oliveira contou com frieza os detalhes como e por que matou Biro-Biro.

Acompanhe parte da entrevista de Manoel:

“Eu trabalhava com o pastor Deusdete, minha esposa Luzanir estava desempregada, foi quando ela foi trabalhar com a Carla esposa dele, depois de uns dois ou três meses minha esposa passou a chegar em casa estranha, chorando, sem querer ir trabalhar, eu perguntava o que estava acontecendo, mas ela não falava, um dia ela chegou em casa com macas no corpo, ai eu insistir até que ela falou que tinha sido ele, então eu me revoltei e passei a perseguir ele”.

“Como eu sabia que ele trabalhava com medição de terra, eu liguei para ele e disse que tinha uma terra e precisava dos serviços dele, eu marquei para encontrar com ele na entrada da fazenda Mateira que fica próximo ao aeroporto, quando ele chegou eu encostei a moto perto da camionete que ele estava, quando ele me viu tomou um susto, ai eu disse você mexeu com minha mulher seu velho sem vergonha, foi quando ele segurou o volante com a mão esquerda e levou a direita para baixo, ai eu atirei nele, ele acelerou a camionete e bateu na cerca de arame, eu cheguei perto para conferir e vi que ele estava morto, ai eu peguei a moto e fugi do local”.

Durante a entrevista que foi bastante longa, Manoel respondeu a varias perguntas, uma dela foi se ele estaria arrependido do que fez, ele disse que para com DEUS, mais ver o que eu vi, meus filhos revoltados, minha esposa da maneira que ela estava eu fiquei muito revoltado. Quando perguntado do envolvimento da senhora Katia cunhada da vitima com o crime, ele disse que ela não tem nem um tipo de participação no caso, se ela ficou sabendo que Biro-Biro tinha tentado ter relação com sua esposa, foi por que as duas conversaram, mas da morte dele ela nem sabia que ia acontecer. Sobre o dinheiro que foi dito que Manoel havia recebido da Katia, ele também disse que não é verdade, segundo Manoel, quando ele matou o ex-vereador, ele só tinha R$ 200,00, restante do salario do mês que tinha recebido, ele disse que para ir embora para Brasília ele vendeu o revolver por R$ 100,00, foi com esses trezentos reais que eu cheguei até Brasília. Afirmou Manoel Pereira.

 Manoel disse também que ele estava de plano a se entregar a Justiça, já tinha conversado com sua esposa e ela estava de acordo, por que eles estavam se sentindo muito preso, sem poder nem sair com os filhos, mas a Polícia o achou antes que se entregasse, Manoel afirmou que está pronto para tudo, puxar cadeia o resto da vida ou até mesmo morrer. Palavras do assassino do ex-vereador Biro-Biro.

O delegado Luiz Antônio disse que o acusado após ser ouvido, por questão de segurança, será transferido para o presidio de Redenção, onde vai ficar a disposição da Justiça.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo