Notícias

Pará 2030: Governo dialoga com produtores do setor da pecuária

O secretário Adnan Demachki explicou sobre o sistema de governança do Pará 2030
O secretário Adnan Demachki explicou sobre o sistema de governança do Pará 2030

Representantes do setor da pecuária paraense, sobretudo do sul e sudeste do Pará, participaram de uma reunião de trabalho nesta quarta-feira, 3, organizada pelo Governo do Estado, para dialogar sobre o programa Pará 2030, com foco no desenvolvimento da economia paraense. Os produtores rurais apresentaram demandas, apontaram sugestões e se colocaram à disposição para uma parceria que contribua com as metas do planejamento estratégico estadual para os próximos 15 anos.

Articulado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, o encontro mobilizou sete secretários estaduais e ainda dirigentes de órgãos públicos. “É uma reunião técnica de trabalho. Entre tantas lideranças, estão presentes produtores rurais que participaram da construção coletiva do Programa, que é robusto, agressivo até, e que precisa da contribuição de todos para atingir suas metas até 2030’’, disse Demachki no início do encontro.

Hildegardo Nunes, secretário de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), mostrou as iniciativas do órgão para alavancar o agronegócio.
Hildegardo Nunes, secretário de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), mostrou as iniciativas do órgão para alavancar o agronegócio.

Foram debatidos temas como a regularização fundiária, segurança pública, licenciamentos e legislações ambientais, o potencial do agronegócio, fortalecimento de unidades do Iterpa e da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidades (Semas), em municípios do interior, logística e investimentos de infraestrutura, entre outros.

A reunião durou mais de cinco horas. Os pecuaristas entregaram para cada um dos secretários presentes um documento com uma pauta de reivindicações do setor. A determinação de se aproximar de um dos setores produtivos mais importantes da economia paraense foi reconhecida pelos pecuaristas. “O Pará 2030 é palpável. Paragominas chegou a ficar sem opções para a atividade agropecuária e hoje é um município modelo e isso só foi possível porque o setor produtivo fez a sua parte’’, ressaltou o produtor rural de Paragominas, Mauro Lúcio Costa.

A determinação de se aproximar de um dos setores produtivos mais importantes da economia paraense foi reconhecida pelos pecuaristas, como o produtor rural de Paragominas, Mauro Lúcio Costa
A determinação de se aproximar de um dos setores produtivos mais importantes da economia paraense foi reconhecida pelos pecuaristas, como o produtor rural de Paragominas, Mauro Lúcio Costa

“É importante ter um canal aberto e claro com o governo estadual’’, acrescentou o produtor de Marabá, Maurício Pompeia Fraga Filho, que pediu agilidade da área de segurança pública no cumprimento de reintegrações de posse. Jordan Timo Carvalho, de Redenção, comentou sobre a necessidade de maior segurança jurídica para o ambiente de negócios. “A falta de regularização fundiária incentiva o desmatamento’’, frisou Jordan. Já Joel Lobato, que preside o Sindicato Rural de Xinguara, pediu mais parceria e eficiência de órgãos estaduais no trato com o setor produtivo.

Segundo análise do Pará 2030, a agropecuária paraense tem hoje quase 20 milhões de cabeças de gado e responde por 13,2% do Produto Interno Bruto (PIB) paraense. Atualmente, estima-se que o Estado produz uma receita de R$ 6 bi por ano com o segmento. Entre as propostas para fomentar o setor, o planejamento estratégico do Governo do Estado prevê a intensificação de 50% a 70% da área de pastagens, o que significa aumentar a produtividade da agropecuária sem abrir novas frentes de desmatamento.

A intenção é aumentar a densidade média de criação de cabeças e trabalhar a redução do tempo para abate. O Pará 2030 também propõe a regularização fundiária e ambiental, abertura de novos mercados e rastreabilidade, capacitação e Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), disponibilidade de crédito e formalização de mercado, entre outras ações.

Os secretários apresentaram propostas e o que suas respectivas pastas já estão tocando em prol da viabilidade da economia paraense. Hildegardo Nunes, secretário de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), mostrou as iniciativas do órgão para alavancar o agronegócio. 

Adnan Demachki explicou sobre o sistema de governança do Pará 2030 e, ao fim do encontro, convidou oficialmente quatro representantes dos pecuaristas, sob escolha do setor, para participarem das reuniões do Sides, Sistema de Desenvolvimento Econômico, Social e Sustentável, que mobiliza a área econômica estadual no âmbito do governo. Ele ainda afirmou que o Sides compreende o Fórum do Programa Pará 2030,  integrado pelo poder público e a sociedade civil organizada, fundamental para a execução do Pará 2030. 

Além de Demachki e Hildegardo e dos produtores rurais de São Félix do Xingu, Marabá, Redenção, Xinguara, entre diversos municípios, o encontro contou com a presença dos secretários estaduais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Segurança Pública; Programa Municípios Verdes; do Instituto de Terras do Pará (Iterpa); Comunicação e da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará); bem como de representantes da Faepa e Fiepa.

Por Valéria Nascimento

AGÊNCIAPARÁ

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo