Pedido de atuação da Força Nacional no Pará ainda é analisado pelo Ministério da Justiça

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Fernando Moro, durante cerimônia no Palácio do Planalto. — Foto: Nelson Almeida/AFP

Helder Barbalho solicitou a ação de 500 agentes das tropas durante seis meses no estado. Secretário de Segurança diz que medida deve deslocar policiais para trabalho de investigação.

O pedido do governador Helder Barbalho para que a Força Nacional atue no Pará ainda está sendo analisado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro. Pelas redes sociais, Helder disse que já falou com o ministro por telefone sobre o assunto.

Um dia após a posse, o governador assinou um ofício solicitando 500 agentes das tropas federais por um período mínimo de seis meses, e também anunciou o início de uma operação incluindo órgãos de segurança do Estado.

Neste sábado (5), o novo secretário de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Ualame Machado, disse que o foco principal do pedido é fortalecer o policiamento para que agentes possam ser liberados para o trabalho de investigação.

“A Segup vai dar tranquilidade e suporte para ajudar o policiamento nas ruas e para que policiais sejam deslocados especificamente para apurações sensíveis para esclarecer os crimes que ocorrem no estado”, afirmou Machado.

Violência no Pará

No dia da assinatura do ofício, Helder Barbalho disse que vai combater a ação de milícias no estado e que a atuação pode estar ligada às mortes no bairro da Cabanagem, em Belém.

No dia 1º, cinco homens foram assassinados em endereços próximos, no intervalo de dezoito minutos. Algumas das vítimas, segundo a Polícia, tinham envolvimento com tráfico de drogas. Os casos ocorreram um dia após a morte do cabo Davi Ortega, no Parque Verde. Os bairros são próximos.

Sobre as investigações do caso, a Polícia Civil disse que está prestes a identificar os suspeitos envolvidos.

Fonte: G1 PA — Belém

SEM COMENTÁRIO