Polícia

Pistoleiro que matou o Ex-vereador Biro-Biro está preso em Goiás

Dr. Luiz Antônio delegado que comandou as investigações
Dr. Luiz Antônio delegado que comandou as investigações

Através do trabalho de investigação da equipe da Polícia Civil do Pará, sobe o comando do delegado Dr. Luiz Antônio Ferreira, titular da DEPOL de Xinguara, com o apoio de Policiais Civis da Superintendência Regional do Araguaia Paraense, que tem em seu comando o renomado delegado Dr. Antônio Carlos Miranda e mais o apoio da Polícia Civil do Estado de Goiás, o pistoleiro Manoel Pereira Oliveira de 39 anos de idade que matou o Ex-vereador Elpídio Pereira da Silva, o “Biro-Biro”, da cidade de Xinguara e estava foragido da Justiça paraense, foi preso na manhã desta sexta-feira 28 de fevereiro de 2014, na cidade de Luziania no Estado de Goiás, que fica a 58 km do Distrito Federal.

Elpídio Pereira da Silva, o “Biro-Biro”
Elpídio Pereira da Silva, o “Biro-Biro”

O crime que vitimou o Ex-vereador e pecuarista Elpídio Pereira da Silva “Biro-Biro” aconteceu no dia 06 de fevereiro de 2013, por volta de 12 horas na PA 279, próximo à cidade de Xinguara onde Ex-vereador morava. Biro-Biro foi morto dentro de sua camionete sem ter chance de defesa, o caso na época foi conduzido pelo delegado Dr. José Orimaldo, que após seis dias do crime ter acontecido, deu o caso como elucidado. Na conclusão do inquérito policial o vaqueiro Manoel Pereira Oliveira foi apontado como executor do crime, segundo as investigações Manoel teria matado Biro-Biro incentivado pela senhora Kátia Dias Ribeiro, de 49 anos, ex-cunhada da vitima.

O crime teria sido primeiramente arquitetado pelo próprio criminoso, com a alegação de que

Foto do dia do crime
Foto do dia do crime

Elpídio teria assediado sua mulher. Ao saber da intenção do vaqueiro, Katia o instigou para que cometesse o crime e ainda teria lhe ofertado certa quantia em dinheiro pelo serviço. Manoel, se passando por fazendeiro, e usando o nome fictício de “Carlos”, telefonou para a vítima com a desculpa de contratar seus serviços para fazer a medição de uma terra. “Biro-Biro” trabalhava como consultor em georreferenciamento de terras em propriedades rurais da região. Sem imaginar que se tratava de uma emboscada, “Biro-Biro” foi ao encontro do suposto fazendeiro que o aguardava às margens da PA-279. Ao abrir o vidro da caminhonete para conversar com ele, recebeu um tiro à queima roupa, e morreu na hora.

Dr. José Orimaldo delegado que comando as investigações na época do crime
Dr. José Orimaldo delegado que comando as investigações na época do crime

Conforme foi dito pelo delegado José Orimaldo na época do crime, “foi durante as investigações que a Polícia chegou a duas testemunhas-chave do crime”. “Foram elas que disseram o nome do criminoso e onde a moto usada no crime estava escondida”. “A testemunha que delineou a participação de Kátia no crime foi à mulher do homicida, Luzenir”. Ela contou detalhes do crime ao delegado, e acusou a participação de Katia. Durante acareação feita entre as duas, Luzenir manteve todas as acusações.

O delegado, Luiz Antônio falou por telefone com nossa equipe e disse que a papelada está sendo preparada para que o pistoleiro seja recambiado para o Estado do Pará. Mais precisamente para o Centro de Recuperação Regional de Redenção, (CRRR), onde ficará preso aguardando decisão da Justiça.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar