Polícia prende líder da quadrilha que explodiu o Bradesco e o Banco do Brasil de São Félix do Xingu

Policiais Civis da Delegacia de Repressão a Roubos a Banco e Antissequestro (DRRBA/DRCO) e dos Núcleos de Apoio à Investigação de Marabá e Redenção prenderam, na noite da última segunda-feira (4), Jonildo Antônio Alves Oliveira, acusado de ser o líder da quadrilha que explodiu as agências do Bradesco e do Banco do Brasil em São Félix do Xingu, no dia último dia 1º. A operação que culminou na prisão do assaltante teve o apoio da Polícia Rodoviária Federal e de policiais civis da Delegacia de Guaraí (TO), onde o acusado estava escondido.

Jonildo Antônio Alves Oliveira tinha contra ele dois mandados de prisão expedidos pela Justiça do Pará. Ele é suspeito de liderar o grupo que atua no ataque a várias instituições financeiras no Estado. Além do recente assalto em São Félix do Xingu, a Polícia acredita que a quadrilha de Jonildo Oliveira é responsável também pelos assaltos a três agências bancárias em Rondon do Pará, no dia 11 de janeiro deste ano. Também na conta do grupo estão os assaltos ao Banco da Amazônia de Pacajá, em 7 de agosto de 2018, e ao Bradesco de Santa Maria das Barreiras, no dia 12 de julho do ano passado. Além do assalto a bancos de Canaã dos Carajás, em 3 de dezembro último.

___________ MATÉRIA CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ___________

Todos esses assaltos foram no estilo que a Polícia chama de “vapor noturno”, em que os bandidos chegam tocando o terror nas cidades, quase sempre nas primeiras horas da madrugada. Com muitos tiros para o alto, os criminosos, sempre fortemente armados, fazem reféns para formar escudos humanos que possam impedir a ação da Polícia. Não raramente, os quartéis da PM e delegacias de polícia são também atacadas, impedindo que as forças de segurança possam impedir os assaltos.

Relembre o assalto de São Félix do Xingu

Na madrugada do último dia 1º, um grupo fortemente armado invadiu as agências do Bradesco e do Banco do Brasil de São Félix do Xingu, explodindo tudo, fazendo reféns e tocando o terror na cidade. Os criminosos dispararam muitos tiros nas imediações dos bancos, acertando fachadas de lojas vizinhas e colocando em risco a vida de moradores.

Na fuga, a quadrilha ateou fogo em um veículo, na cabeceira da ponte sobre o Rio Fresco, na rodovia PA-279, para dificultar a perseguição policial. Depois, embrenharam na área rural do município, numa região de muitas estradas vicinais.

Reforços da PM e da Polícia Civil foram enviados de várias cidades da região para auxiliar na caçada aos assaltantes, na região da Taboca, o mais populoso distrito do interior de São Félix do Xingu. Um helicóptero do sistema de segurança do Estado foi enviado para apoiar a perseguição (saiba mais aqui).

(Imagem: Divulgação.)

Fonte: Blog do João Carlos

SEM COMENTÁRIO