NotíciasPolíciaPolítica

Polícia prende suspeito de matar o prefeito de Breu Branco, Diego Kolling

Operação realizada nesta sexta-feira (28) cumpriu mandado de prisão contra o suspeito no Pará. Crime aconteceu no dia 16 de maio de 2017.

Diego Kolling
Diego Kolling

A Polícia Civil prendeu na manhã desta sexta-feira (28) quatro homens, entre eles o suspeito apontado pelas investigações como o autor dos disparos que resultaram na morte do prefeito de Breu Branco, Diego Kolling (PSD), e o presidente Comissão Provisória do Partido Social Democrático do Estado do Pará (PSD-PA), Ricardo Chegado. A polícia ainda não revelou detalhes da prisão, que ocorreu durante uma operação para cumprir mandados referentes às investigações do crime.

O assassinato aconteceu no dia 16 de maio de 2017. Diego Kolling, que era conhecido como Alemão, era prefeito da cidade de Breu Branco, no sudeste do Pará e foi morto enquanto andava de bicicleta na companhia de amigos em um trecho da rodovia PA-263, que liga Tucuruí a Goianésia do Pará.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Segup), o suspeito confessou ter feito os disparos contra o prefeito, e disse que executou Kolling a mando de Ricardo Chegado. Diante da prisão de Chegado, O PSD informou, em nota, que a comissão do partido na cidade foi desfeita.

A operação

O próprio delegado geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino, coordenou a operação de cumprimentos de mandados de prisão, buscas e apreensão e condução coercitiva, quando a pessoa é levada para depor. Ao todo, 40 policiais, entre civis e militares, participaram das ações tanto na área urbana quanto na zona rural de Breu Branco.

Os presos foram encaminhados à cidade vizinha de Tucuruí. Além das prisões, a polícia também apreendeu objetos durante a operação. A Segup informou que no final da tarde vai divulgar o resultado final da operação, iniciada na madrugada desta sexta-feira.

Prefeitos assassinados no Pará

mapa-prefeitos3Três prefeitos no sudeste do estado foram assassinados desde 2016. O caso mais recente, que gerou comoção na região, foi o assassinato do prefeito de Tucuruí, Jones William da Silva Galvão (PMDB), de 42 anos, no último dia 25 de julho. De acordo com a polícia, no momento do crime o prefeito visitava obras de recapeamento da estrada de acesso ao aeroporto. Era por volta de 16h quando dois homens em uma moto passaram no local e dispararam contra o prefeito.

Segundo relatos recebidos pelo delegado Sandro Rivelino, titular da Superintendência da Polícia Civil de Tucuruí, foram vários tiros de pistola calibre ponto 40. A vítima ainda chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Regional de Tucuruí, mas não resistiu e morreu.

Policiais da capital chegaram no mesmo dia do crime a Tucuruí. As investigações são realizadas por uma equipe de policiais civis da Divisão de Homicídios de Belém, sob coordenação do delegado Eduardo Rollo. A Polícia Militar, por meio do Comando de Missões Especiais (CME), está com policiais militares em apoio às guarnições do município para reforçar o policiamento na cidade e auxiliar o trabalho investigativo. A polícia fez um retrato falado de um dos suspeitos, baseado nos depoimentos de duas testemunhas.

Em janeiro do ano passado, o prefeito de Goianésia do Pará, João Gomes da Silva (PR), o “Russo”, foi morto a tiros enquanto estava dentro de um velório no centro da cidade. Ele tinha 62 anos e ocupava o cargo desde 2013.

Segundo a polícia, a morte do prefeito teria sido encomendada pelo vereador José Ernesto da Silva, o Zé Ernesto, que foi o mandante do crime por motivos políticos: ele planejava concorrer ao cargo municipal, mas João Gomes era cotado para a reeleição.

Outros suspeitos de terem participado da morte são Benedito Peres Campelo e o filho dele, Kleberson Deibe Campelo, que seriam os executores. O intermediário na contratação dos executores seria conhecido como Chicão.

Dos quatro suspeitos está preso Benedito Campelo. Kleberson e Chicão estão foragidos, e Zé Ernesto foi assassinado em fevereiro de 2016 por dois homens – identificados como Murilo e Nego Bala – que também foram presos.

Diego Kolling, de 34 anos, foi o segundo prefeito assassinado na região. No dia 16 de maio o prefeito da cidade de Breu Branco foi morto enquanto andava de bicicleta. Por volta de 7h30, a vítima recebeu um tiro no lado direito do peito e chegou a ser socorrido e encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

G1/PA

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo