Prefeito Osvaldinho tem que analisar melhor estratégia para eleger seu sucessor

É mais que sabido que o atual prefeito de Xinguara, Osvaldinho Assunção, tem larga preferência popular na construção do processo político em Xinguara. Sua administração gerou grandes avanços na economia e desenvolvimento do município, mas como nada é eterno, é chegada a hora de se despedir da direção da prefeitura, cargo que ocupa desde que venceu as eleições em 2012.

Eleito em duas eleições seguidas com mais de 10.000 votos, desbancou nomes como Ari, Amarildo e até Moacir. O problema é que pra manter a hegemonia e sua forma de governar, precisa urgentemente criar alternativas e nomes para substitui-lo.

Às margens desse processo correm vários nomes, dentre eles, o do atual secretário de Educação, Vilmones da Silva, tido como nome do PSC, que nos últimos dias acabou se envolvendo em polêmicas nos jogos do JOPEX, quando por falto de documentação foi acusado de não autorizar o filho de outro pré-candidato a prefeito, Amarildo Paulino, de participar das atividades desportivas, o que lhe custou um alto desgaste diante da opinião pública, além de sofrer diversos ataques de seus próprios pares, professores filiados ao SINTEPP, no que se refere à gestão da pasta da educação, contudo, Vilmones é indicado do PSC e, assim, deve ter o apoio de Zequinha Marinho.

O que se tem até então é que o secretário ainda não foi testado em urna como majoritário, logo, não se tem como mensurar como será sua receptividade pelo eleitorado.

Vereador Roberto da Yamha

Lideranças políticas e de grupos organizados acreditam que a melhor opção para Osvaldinho seria lançar alguém que tivesse destaque no Legislativo de Xinguara para encabeçar uma chapa com apoio do Governo. Nesse diapasão o nome que se espera que seja o escolhido seja o do Vereador Roberto da Yamaha. 3° Colocado na última eleição e muito próximo do governo, Roberto tem atuado sempre de forma técnica em suas defesas, mostra-se alinhado ao perfil de Osvaldinho, e, nos parece, ser um nome que pode dar continuidade ao processo de crescimento de Xinguara.

Apostar em nomes sem expressão, novatos e que ainda não foram testados em urnas pode ser um verdadeiro tiro no pé e lideranças políticas afirmam que Osvaldinho não arriscará, ao menos não é de seu hábito correr riscos.

SEM COMENTÁRIO