Saúde

Prefeitura de Xinguara pode romper pacto com Prefeitura de Sapucaia

Depois da situação constrangedora que aconteceu na tarde desse domingo 9 de março de 2014, na porta do Hospital Municipal de Xinguara, com duas mulheres gravidas, pacientes do Município de Sapucaia, o pacto que existi entre as duas Secretarias de Saúde dos municípios pode chegar ao fim.

O povo pasmo com a situação
O povo pasmo com a situação

Uma ambulância de Sapucaia que trazia as gravidas chegou à unidade de saúde, com a intenção de que as mulheres fossem atendidas. Bastou a direção da unidade informar que não seria possível receber as pacientes para começar uma discussão generalizada, entre familiares da gravidas e funcionários do Hospital. A diretora da unidade Janaina Pereira, tentava explicar para os familiares das gestantes e para os funcionários que acompanhavam as mulheres que os procedimentos tomados pela Secretaria de Saúde de Sapucaia não estava corretos, mas ninguém entendia a posição da diretora.

CAM00494 [1024x768]Janaina Pereira disse que a Secretaria de Saúde de Sapucaia tinha entrado em contato sim com o Hospital de Xinguara pela manhã procurando vaga para as gravidas, mas a informação passada foi de que não era para mandar as pacientes, por que não seria possível receber pelo numero de cesarianas que estavam sendo realizadas no final de semana.

Enquanto o tempo passava, os ânimos se exaltavam, o secretario de saúde de Xinguara Alessandro Arraes foi chamado para tomar ciência do que estava acontecendo. Alessandro e Janaina explicou que a irresponsabilidades de Sapucaia para com as pacientes era tamanha, que uma das pacientes tinha apenas 16 anos de idade e deveria ter cadastro no Hospital Regional Público do Araguaia de Redenção, desde o primeiro mês de gravidez, para isso bastava apenas a Secretaria de Saúde de Sapucaia ter feito os procedimentos correto, menor de idade tem prioridade. Disse Janaina.

O médico que estava de plantão em Xinguara, Dr. Rodrigo Gundim indignado com a situação, falou com nossa equipe e explicou o que estava acontecendo de fato.

Entrevistas:

Dr. Rodrigo Gundim: “As pacientes chegaram ao Hospital em Sapucaia na quinta-feira dia 6 passado, não foi avaliada por um médico, tem uma enfermeira lá, a enfermeira Suely, atendendo como médico, fazendo procedimento de médico e não resolvendo o caso desde quinta-feira, depois de quatro dias manda a paciente já complicada para Xinguara, duas pacientes em trabalho de parto”.

Dr. Rodrigo Gundim: “No caso da paciente menor de idade é considerado gravidez de auto risco e deve ser cadastrada no Regional de Redenção, há onde passaram nove meses e o procedimento não foi feito”. O município de Xinguara tem pacto-ação com Sapucaia para receber pacientes obstetra, isso quando temos condições e não quando tivermos com super lotação, como foi nesse fim de semana, onde foram realizadas cinco cesarianas na sexta-feira, duas no sábado e duas hoje, domingo então estou sem vagas aqui, estou com duas pacientes nossa com gravidez de risco encaminhadas para o Regional, onde também não tem vaga. Disse o médico.

Secretario de Saúde de Xinguara Alessandro Arraes: “Nos temos compactuação com Sapucaia para receber mulher gravida aqui, mas tem que ser tudo dentro da normalidade, mas quando estiver em auto risco eles não devem mandar para Xinguara, nesse caso deve ser feito uma encaminhamento direto para o Regional de Redenção, por que Xinguara não tem perfil para receber paciente com auto risco e sim temos perfil para receber paciente regulado e que seja parto normal, mas não eles estão mandando para Xinguara tirando a responsabilidade deles e repassando para nós”. Uma paciente gravida menor de idade chegando ao Regional os portões se abre automaticamente. Disse Arraes.

O pacto:

De vestido listrado: Diretora do HMX, Janaina Pereira sem saber o que fazer com a situação
De vestido listrado: Diretora do HMX, Janaina Pereira sem saber o que fazer com a situação

Arraes: Estamos pensando seriamente em despactuara com Sapucaia, por que da maneira que está não é viável para Xinguara, eles estão mandando pacientes para Xinguara que nós não temos perfil para atender, às vezes a ambulância de Sapucaia deixa o paciente distante do Hospital para que agente atenda como se o paciente fosse nosso e isso não é viável para Xinguara. Afirmou o Secretario.

A paciente menor de idade depois de muita demora foi encaminhada para Redenção por Sapucaia, mas a maior de idade ficou no Hospital de Xinguara sem saber como voltar para casa. Inês Almeida falou com nossa equipe e disse que tem 15 dias que caminha para o Hospital Municipal de Sapucaia, mas o médico a manda voltar para casa por que as dores que ela sente é por causa da passagem de lua, no último dia três o médico Dr. Jeferson pediu uma ultrassonografia urgente, mas quando Inês foi mostrar o exame, o médico após olhar o exame simplesmente a mandou para casa. De lá para cá eu nunca mais dormi bem só passando mal. Afirmou a gravida Inês Almeida.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo