Tentativa de Homicídio

Professora é presa em Anapu acusada de tentativa de homicídio

Prisão de professora causa indignação na população de Anapu no sudoeste do Pará

A professora Juliele Ferreira da Silva, foi presa no último dia 9 de julho, por agentes da Polícia Civil da cidade de Anapu, no sudoeste do Pará, ela foi acusada de ter cometido o crime de tentativa de homicídio contra influenciadora digital e agente de trânsito, Alexandra da Silva.

O crime aconteceu no dia anterior a prisão (8), quando Alexandra comemorava seu aniversário na companhia de alguns amigos em um estabelecimento de diversão coletiva, momento em que foi surpreendida por Juliele, que o atacou com uma garrafa, causando cortes em seu rosto e pescoço, que por pouco não atingiu sua jugular.

Alexandra recebendo atendimento no Hospital Municipal de Anapu

Segundo informações, Alexandra teria um caso amoroso com o marido de Juliele, o que causou a separação do casal. Ainda segundo informações, além do caso amoroso, Alexandra provocava Juliele com piadas, o que motivou o crime.

A prisão da professora, causou indignação na população de Anapu, que no dia de ontem, 12 de julho, em forma de protesto, centenas de pessoas realizaram uma passeata pelas ruas da cidade, parando em frente à sede do DEMUTRAN, onde usaram palavras de ordem, pedindo justiça pela injusta prisão da professora, uma vez que Alexandra (vítima) pertence a instituição e segunda acusações dos próprios manifestantes, o Departamento de Transito de Anapu na verdade já virou cabaré, por não ser o primeiro caso semelhante envolvendo pessoas ligadas ao órgão.

Os manifestantes entendem que a prisão da acusada foi irregular, alegando que não havia mais flagrante no momento da prisão, mesmo assim o magistrado que recebeu o inquérito na única Vara da Comarca de Anapu, decidiu pela Prisão Preventiva de Juliele Ferreira da Silva, que após a decisão, foi transferida para o presidio feminino de Vitoria do Xingu, onde se encontra a disposição da Justiça.

Recebemos ainda, a informação de que, o advogado Fernando Gonçalves Fernandes, OAB/PA 19656, ingressou com um HC – Habeas Corpus e aguara decisão do TJ/PA.   

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo