Promotor de Justiça de Xinguara é afastado do cargo preventivamente

Os supostos desmandos na Comarca de Xinguara, denunciados pela juíza Ana Carolina Barbosa Pereira, que trouxe a público em 03.10.2018, quando fez referência e gerou grande repercussão a sua extensa declaração de desconforto em atuar como magistrada no Pará, ao citar, por exemplo, “Não nasci pra ver Promotor faltar a mais de 30 audiências no mês e absolutamente nada lhe acontecer. Mas se um magistrado falta um único dia para “emendar” um feriado, é representado e punido por sua Corregedoria”, que noutro trecho disse: “Não nasci pra ver esse mesmo Promotor agir como um louco em audiência, mandando testemunha se calar, rindo da ignorância das pessoas que atuam no processo – a maioria que nem sabe ler ou escrever –, agindo com extrema misoginia e representando o juiz quando, simplesmente, este não acoberta as suas falcatruas (e não são poucas)”.

Tais declarações levaram a Corregedoria a instaurar procedimento, que culminou, nesta quarta-feira, 21, no afastamento preventivo do promotor de Justiça de Xinguara, Ítalo Costa Dias, de suas funções na Comarca. A decisão de afastamento do representante do órgão ministerial se deu pela representação da Corregedoria do Ministério Público Estadual junto ao Conselho Nacional do Ministério Público.

A sessão do CNMP tinha sido marcada para o dia 19 (segunda-feira), entretanto, por falta de quórum foi remarcada para esta quarta, quando o colegiado acatou a representação. Além da denúncia feita pela magistrada, outros casos teriam sido constatados pelos Corregedores, dentre os quais, a falta de registro no sistema onde deveria ser alimentado com informações – denúncias apresentadas de atos que envolvem prefeituras, já que a abrangência da Comarca se estende a três municípios, Agua Azul, Sapucaia e Xinguara.

Apesar de algumas tentativas de falar com o promotor Ítalo Dias, não foi possível, nem houve retorno da parte dele até o fechamento desta matéria.

FONTE: XINGUARA ATIVA

SEM COMENTÁRIO