Renato Gaúcho passa bem após cirurgia de 4 horas e lembra gol do Mundial

Renato Gaúcho passa bem. Após uma cirurgia de mais de quatro horas na manhã deste sábado (05) em Porto Alegre, o treinador do Grêmio está em recuperação. E nas primeiras palavras após o procedimento, brincou com o gol do Mundial de 1983.

“O Renato tinha uma arritmia do coração, não era algo que causava risco imediato de vida, absolutamente. Está trabalhando e correndo normal. Mas poderia causar problemas no futuro, alguns riscos. Se fez uma cauterização e foi absolutamente tranquilo, resultado muito bom. Pretendíamos fazer o isolamento de quatro veias de uma parte do coração e o objetivo foi atingido. Está acordado, conversando, brincando, e a declaração que gostaríamos de fazer é que o resultado foi bom, Renato está bem. É um procedimento complexo”, disse o médico Leandro Zimerman, que realizou a cirurgia.

Em seguida ao procedimento, Renato Gaúcho mostrou o tradicional comportamento brincalhão ao lembrar o gol do Mundial de 1983 pelo Grêmio.

“Falamos: mexe o pé direito, mexe o pé esquerdo, na recuperação após a cirurgia. Quando chegou no esquerdo ele falou: “este foi o do gol de Tóquio”, contou o médico do Grêmio, Paulo Rabaldo, lembrando o feito contra o Hamburgo, da Alemanha, que definiu a maior conquistada história do clube.

Estiveram na coletiva o Dr. Leandro Zimerman, cardiologista que realizou a cirurgia, Dr. Paulo Rabaldo, médico do Grêmio, e Evandro Moraes, superintendente administrativo do hospital Moinhos de Vento.

“Ele passará 24 horas na UTI, depois passa mais 24 horas no quarto. E dentro da rotina em seguida terá alta para casa. O procedimento transcorreu bem, o Renato está bem e dentro disso teremos um procedimento padrão”, disse o médico.

Renato poderá manter a conduta padrão, mas estará vetado do ‘recreativo’ dos jogadores, do qual ele sempre participa.

Matéria continua depois do anuncio:

“Em uma semana estará se sentindo normal. Como regra, por três meses se usa um anticoagulante. Nestes três meses terá cuidado com choques mais fortes”, disse o Dr. Zimerman. “Existe uma relação entre estresse e arritmia. Inclusive esta (que Renato teve). Aumenta com estresse. Pessoas mais estressadas têm mais chance de ter. Eu não diria que ele precisa mudar a maneira de ser. Não é algo com risco de vida, não quer dizer que vá acontecer. Mas pode se usar remédios, se fazer de novo. Só recomendamos o mínimo de estresse”, argumentou. “Renato poderá ser o mesmo, absolutamente o mesmo”, comentou o médico.

Segundo ele, não é um problema que acarrete isolamento do futebol. Ele poderá continuar com suas atividades e em caso de volta dos problemas, poderá ter um novo tratamento. O prazo para isso é de aproximadamente duas semanas. Até lá, Alexandre Mendes comandará os treinos. O Grêmio será representado pelo time de transição (Sub-23) nos quatro primeiros jogos do Gauchão, que começa dia 20 de janeiro no duelo com Novo Hamburgo.

Ainda segundo os médicos, há chance de recorrência. Porém, o resultado do procedimento foi definido como totalmente satisfatório.

UOL

SEM COMENTÁRIO