Polícia

Suposto serial killer afirma à polícia que sofreu abuso sexual na infância

Vigilante disse ainda que foi vítima de bullying e teve ‘desilusões amorosas’.
De acordo com delegados, ele confessou ter matado 39 pessoas na capital.

Tiago afirmou que sofreu abuso quando era criança (Foto: Luísa Gomes/G1)
Tiago afirmou que sofreu abuso quando era criança
(Foto: Luísa Gomes/G1)

Oito delegados integrantes da força-tarefa que investiga morte de mulheres, em Goiânia, colheram depoimentos do vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, apontado como autor de 39 homicídios na capital. As oitivas, que duraram mais de sete horas, começaram na tarde de quinta-feira (16) e terminaram no início desta madrugada. Além de confessar os crimes e dizer que agia após o consumo de bebidas alcoólicas, o suspeito também alegou que foi abusado sexualmente por um vizinho quanto tinha 11 anos, o que o teria deixado “traumatizado”.

Os depoimentos ocorreram na Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc), onde o vigilante está preso desde terça-feira (14). Além do suposto abuso, Tiago afirmou aos delegados que sofreu bullying na escola, foi vítima de várias traições e desilusões amorosas. Segundo ele, isso o teria feito sentir uma “raiva da sociedade”. Para extravasar esse sentimento, ele começou a matar. “Ele ficava angustiado, procurando uma forma de resolver o problema e descobriu que matando ele se sentia melhor”, disse ao G1 o delegado Mauricio Massanobo Kai. (G1)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo