Vereadores usam tribuna da Câmara para tentar se justificarem sobre os gastos com diárias

Da Redação

A sessão da Câmara Municipal de Xinguara, na noite de segunda-feira, 1º, logo no início, parecia que seria sonolenta, ou sem muito assunto a ser debatido, pois, na abertura, tinham apenas 08 dos 13 dos vereadores.

Em pauta, duas proposições que foram considerados assuntos apreciados com maior destaque: um projeto de lei, que institui a preferência no atendimento às pessoas com fibromialgia e uma indicação para que a prefeitura ilumine a pista de MotoCross.

Antes das falas dos vereadores, o senhor Rogério Santos usou o pequeno expediente, disponível para que populares possam expressar suas opiniões e trazerem ao conhecimento da Casa Legislativa, reclamações das demandas existentes no município.

Rogério questionou os gastos com diárias feitas nas ultimas viagens dos vereadores, onde se disse perplexo com os valores, cujo, valores informados por ele, para quatro diárias a Brasília R$ 3.200,00, já para Belém, o mesmo período R$ 2.800,00, afirmando que, “na condição de cidadão me sinto porta voz da comunidade quando o assunto é a representação que a população tanto espera dos vereadores e que destas viagens é preciso que apresentem resultados”.

Já os assuntos que levaram os vereadores a gastarem o tempo de uso da tribuna foram para se justificarem de como estão usando os recursos que recebem para viagens, sempre que vão a Brasília ou Belém, com a disponibilidade das diárias para custeio de suas despesas.

Entre uma fala e outra, os vereadores apontaram que as idas aos gabinetes são justificáveis na tentativa de conseguirem emendas dos parlamentares federais e estaduais para atender às necessidades do município.

Adair Marinho, por exemplo, disse que na sua ida a Brasília apresentou um pedido de emenda para a construção de uma creche no Setor Mariazinha.

Cleomar Cristani falou de suas conquistas, dizendo que se o seu mandato se encerrasse nesta data, já se sentiria contemplado pelo trabalho prestado, Em determinado momento do seu pronunciamento, sem dar nome, se referiu aos comentários direcionados aos vereadores nas redes sociais, considerado por ele desnecessário.

Edelton Régio disse que no ano passado conseguiu junto a um deputado, recursos para a compra de uma ambulância. O vereador irmão Zeca chegou a dizer que não se vê na obrigação de dar satisfação a “esse” ou “aquele”, mas à população.

O vereador Roberto da Yamaha trouxe ao conhecimento de seus pares, chamando a atenção de todos, às reclamações nas redes sociais de que na creche do setor Tanaka crianças apresentam problemas de saúde, que podem ser provenientes do mosquito aedes aegypti, propondo a criação de uma comissão para averiguar o local, a eventual existência de situação que esteja sendo a causa do problema. Falou ainda das constantes reclamações quanto à iluminação pública, informando que com a chegada de material para reposição, a população já pode se dirigir até a secretaria de Obras para solicitar o serviço.

Olair Reis fez um discurso mostrando a responsabilidade que cada vereador tem, inclusive quanto aos gastos públicos. Em determinado momento do seu discurso falou da importância do papel da imprensa, ao dizer que “a mídia no geral nos alerta também”, se referindo às informações que são divulgadas nos meios de comunicação.

SEM COMENTÁRIO