NotíciasSaúde

Vigilância de Saúde de Xinguara realiza reunião com agentes para traçar planos estratégicos de trabalho

Equipe da 12ª Regional de Saúde do Pará
Equipe da 12ª Regional de Saúde do Pará

Agentes da Secretaria de Saúde e de Endemias de Xinguara com apoio de uma equipe do 12º Centro Regional de Saúde do Estado do Pará participaram de uma reunião realizada na Câmara Municipal na manhã dessa segunda-feira 23 de janeiro, para traçar um plano de trabalho de combate contra o surto causado pelo Mosquito Aedes Aegypti no município.

Após o estado de emergência decretado pelo prefeito de Xinguara Osvaldinho Assunção, a atenção e o trabalho de combate ao Aedes Aegypti foram redobrados. Um trabalho corporativo será realizado de casa a casa pelos profissionais de saúde nos Bairros de Xinguara. Durante a reunião os agentes receberam instruções de abordagem para notificar as pessoas com suspeita de estar com Dengue, Zika ou Chikungunya transmitido pelo Aedes Aegypti.

Nossa equipe conversou com a coordenadora da Vigilância de Saúde de Xinguara, Cristiane Araújo, que falou da preocupação do município com a situação de calamidade que se encontra no momento. “A finalidade de estarmos reunidos hoje, é, o plano estratégico de campo, que é, o combate direto ao mosquito Aedes Aedes Aegypti, estamos contando com o apoio da 12ª Regional de Saúde que vai nos orientar nesse trabalho, pela manhã realizamos o planejamento e se a chuva der trégua a partir das 13:30hs, já vamos estar em campo realizando o trabalho de combate ao mosquito. Vamos estar visitando casa por casa com equipes de agentes de saúde e de endemias em busca de focos do Aedes Aegypti para tratar e eliminar esses focos, vamos também notificar aquelas pessoas que por ventura estiver com os sintomas das doenças transmitidas por esse terrível mosquito, se o caso encontrado precisar de ser encaminhado há uma unidade de saúde automaticamente estaremos fazendo o encaminhamento de imediato, vamos começar esse trabalho no Setor Nobre e Pagnoceles, todo secretariado municipal esta empenhado e mobilizado nesse combate para vencermos essa epidemia. Temos nosso disque denuncia onde as pessoas podem nos ajudar a combater esse surto, se alguém souber de algum local que ofereça riscos, podem ligar no (94) 99128-0751. Quem encaminharemos um fiscal ao local para verificar a denuncia. Afirmou Cristiane Araújo.

Diretor de Endemias da 12ª Regional de Saúde (de vermelho) conversando com sua equipe
Diretor de Endemias da 12ª Regional de Saúde (de vermelho) conversando com sua equipe

Quem também falou com nossa equipe de reportagem foi o diretor de Endemias do 12º Centro Regional de Saúde do Estado do Pará, Divino Espindola, que falou como o trabalho será realizado. “No momento que a secretaria de saúde percebeu que havia um inicio de epidemia ou surto de Chikungunya, foi solicitado nosso apoio de imediato, foi feito um levantamento e percebemos a necessidade de realizarmos esse combate o mais rápido possível, estamos aguardando a chegada de um carro fumacê que chega hoje e outro que deve chegar amanhã, estamos com uma equipe de 30 servidores capacitados no tratamento de endemias que, já estão trabalhando junto com todos os agentes de endemias da cidade, ou seja, todo o corpo da regional esta mobilizado para esse trabalho em Xinguara. Esperamos que em no máximo duas semanas possamos controlar esse surto e nesse prazo não tenha pessoas indo as unidades de saúde por esses sintomas, para isso precisamos contar com a boa vontade da população ao receber nossas equipes de profissionais, assim juntos somos mais fortes do que o Aedes Aegypti”. Disse Divino Espindola

O diretor disse ainda que o mosquito Aedes Aegypti tem apenas 30 dias de vida, “ele nasce tanto na água limpa como em água suja, não isso de que ele nasce só na água limpa, ou seja, se não haver água em pneus, garrafas, plásticos etc, em 30 dias não temos mais mosquito na cidade, fizemos um levantamento dos Bairros mais críticos, aqueles que têm maior foco do mosquito, esses Bairros serão os primeiros a receber nossas equipes que farão a eliminação do mosquito, depois de feito isso, entra a parte dos moradores, todo terão que dar continuidade ao trabalho, limpando seus quintais, a população tem que ter a consciência de que este trabalho tem que ser continuado, se todos não cuidarem da limpeza frequentemente, o Aedes Aegypti volta e a Dengue, Zika e Chikungunya vem junto podendo causar nova epidemia”. Afirma o diretor.

Segundo os coordenadores da campanha, mesmo com a situação que se alastrou em toda cidade, ainda é encontrado dificuldades pelos agentes, ainda a muita resistência por parte da população para receber os profissionais, tem aquelas pessoas que não quer que o agente entre na casa para não sujar, tem aqueles que não acreditam no trabalho dos agentes e ainda tem gente que não acredita que o Aedes Aegypti transmite as doenças, tudo isso por conta de falta de conhecimento. Está sendo esperada em Xinguara uma equipe de educação em saúde para fazer um trabalho detalhado de conscientização em relação ao Aedes Aegypti.

Por Roserval Ramos

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo