NotíciasPolíciaPolítica

Xingu: Transferência de delegado é atribuída a questões políticas por inquérito que envolve filho da prefeita

O clima continua quente em São Félix do Xingu (PA), na região da PA-279, a 480 quilômetros de Marabá. No início da semana passada, o secretário de Administração e Planejamento da prefeitura, Clayton Eduardo da Silva, foi afastado preventivamente do cargo pela mãe dele, a prefeita Minervina Maria de Barros Silva (PDT – foto). O secretário afastado e um empresário da cidade, José Wilson Rodrigues, são alvo de inquérito da Polícia Civil, por suposto envolvimento na permuta de imóveis públicos de forma irregular.

O promotor de Justiça Gerson Alberto de França, do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) em São Félix, expediu recomendação à prefeitura para que seja anulado o procedimento de permuta dos imóveis. O promotor entendeu que a anulação deve persistir até que sejam esclarecidos os critérios da administração municipal na operação de permuta de imóveis pertencentes ao patrimônio público. E que esses critérios sejam validados junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

“Uma eventual caracterização de malversação dos bens imóveis pertencentes ao patrimônio público municipal implicará na adoção por parte deste Órgão Ministerial de providências imediatas na seara criminal e civil”, enfatizou o promotor de justiça, de acordo com nota publicada no site do MPPA.

No fim da última semana, o delegado que preside o inquérito, Lenildo Mendes dos Santos Sertão (foto), foi transferido para a delegacia de Tucumã, o que foi entendido por muitos como retaliação pela investigação relativa ao governo municipal. Nas redes sociais, muitas pessoas atribuíram a remoção do delegado a Minervina Barros e ao vice-governador Zequinha Marinho (PSC), aliado de primeira hora da prefeita.

Segundo a versão corrente em grupos de WhatsApp, a transferência de Lenildo Sertão teria o objetivo de atrapalhar as investigações sobre os atos supostamente irregulares da administração municipal. E de criar dificuldades à atuação política do delegado, que também é vereador em São Félix do Xingu, onde foi o candidato mais votado em 2016, justamente pelo PSC do vice-governador.

As entidades sindicais que representam os delegados de polícia do Estado do Pará emitiram uma nota dura sobre a transferência do delegado Lenildo Sertão (Leia a íntegra abaixo). No texto, as entidades prestam total apoio ao delegado e afirmam que a remoção deste “nada mais foi do que represália política” pela atuação de Sertão no caso do filho da prefeita.

Minervina Barros nega qualquer iniciativa para a mudança do delegado de município. Segundo ela, os desentendimentos com Lenildo Sertão vêm desde a campanha eleitoral de 2016. Naquela oportunidade, conta a prefeita, o delegado tinha a pretensão de ser o vice na chapa dela na disputa à prefeitura. Mas ela garante que o próprio PSC, partido do delegado-vereador, é que não concordou com a candidatura dele a vice-prefeito. Desde a posse, na versão da prefeita, Lenildo Sertão se transformou no mais ferrenho adversário do governo municipal no Legislativo. Ele foi o vereador mais votado no município nas últimas eleições.

A prefeita diz ainda que o processo de permuta dos imóveis passou pela Câmara Municipal, “onde 14, dos 15 vereadores, aprovaram o projeto”. E diz não haver nenhuma ilegalidade no procedimento, apesar de respeitar a posição da Justiça e do MP, decretando o afastamento do próprio filho do governo municipal.

O vice-governador Zequinha Marinho foi procurado pelo Blog para dar a versão dele dos fatos. Ele confirmou que o seu partido não aprovou a candidatura de Sertão a vice-prefeito em 2016 e justificou a decisão nos acertos que já haviam sido feitos entre os vários partidos que compunham a coligação liderada pela então candidata Minervina.

Segundo o vice-governador, a versão de que ele, Zequinha, interferiu para que Lenildo Sertão fosse transferido de São Félix do Xingu é fantasiosa. “Isso é assunto interno da Polícia Civil e não cabe a mim pedir a remoção de ninguém”, garantiu.

Leia a íntegra da nota da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Pará:

“Nota de apoio cumulada com repúdio

As entidades classistas representantes dos Delegados de Polícia do Pará, vêm a público apresentar seu total apoio ao Delegado LENILDO MENDES SERTÃO, o qual cumprindo seu mister, coordenou uma operação policial de combate à corrupção que culminou no afastamento do secretário municipal de São Félix do Xingu, o qual é filho da prefeita deste município.

Após a ação legítima e exemplar do Delegado Lenildo, a qual deveria ser louvada por todos, fomos surpreendidos pela remoção do Delegado para outro município, sem a fundamentação legal exigida pela Lei nº 12830/2013, o que nos remete à clara conclusão de que a remoção nada mais foi do que represália política, fato que não podemos admitir em nenhuma hipótese e vamos buscar todos os meios legais para reparar tal injustiça.

Fatos dessa natureza impõe a imediata discussão da necessidade de independência da Polícia Civil, para que interferências políticas não venham se contrapor aos interesses da sociedade, os quais deverão nortear todas as ações de nossa instituição.

Reafirmamos nosso total apoio ao Delegado LENILDO MENDES SERTÃO e completo REPÚDIO à forma como se procedeu a sua remoção, a qual consideramos arbitrária e injusta e desde logo, reiteramos que acionaremos todos os meios para que o ato ilegal seja revertido e, principalmente, para que não venham a se repetir.”

(Fonte: Blog do João Carlos / Imagens: Reprodução Internet.)

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo