Xinguara deu a volta por cima, venceu Redenção e após 11 anos volta a conquistar a Copa Sul Pará

Depois de 11 anos, a Seleção de Futebol de Xinguara, volta a ser campeã da Copa Extremo Sul Pará de Seleções. Após perder a primeira partida da final para Redenção por 2×1, jogando em casa, venceu a segunda partida por 2×0, jogando nos domínios de Redenção, fazendo 3×2 no placar agregado. Conquistando assim seu 5º título da competição. A última vez que Xinguara conquistou a Taça do Copão, foi em 2007, e só voltou a uma final 3 anos depois, em 2010, quando perdeu a final em casa, justamente para Redenção.

O jogo que consagrou os xinguarenses campeões da 15ª Copa Extremo Sul Pará de Seleções, aconteceu ontem, sábado (8), no Estádio Arena Serrinha em Redenção. A final de 2018, tinha o mesmo desenho daquela de 2010, com pequenas diferença, em 2010, o primeiro jogou foi na Arena Serrinha e ficou empatada em 0x0, em Xinguara, Redenção venceu por 2×1 e comemorou o título em pleno J. Santos. Agora esse ano, Redenção venceu em Xinguara por 2×1, a primeira partida. Decidindo em casa, bastava segurar o empate em 0x0, para ser campeão com pouca diferença do penúltimo título.

Kadú e Luan, heróis do título

Como no futebol acontece de tudo, o desenho foi outro, mesmo com a vantagem e decidindo em casa, Redenção não jogou o bastante para segurar pelo menos o empate. Já Xinguara que, precisava da vitória, jogou tudo para vencer. Com um volume maior de jogo e concentração em campo, a Seleção xinguarense chegou ao primeiro gol ainda na primeira etapa, em uma bola cruzada na área o volante Kadú aproveitou o vacilo da zaga de Redenção e marcou para Xinguara, 1×0, foi o resultado que as equipes levaram para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, a Seleção xinguarense voltou com a mesma pegada e continuou melhor na partida, e com uma jogada muito bem trabalhada chegou ao segundo gol aos 30 minutos da etapa final. A jogada do segundo gol, começou no meio campo com o meia atacante Marcus Vinicius que, viu a penetração do atacante Daniel em velocidade na área redencense e colocou a bola na medida, no domínio de Daniel, o goleiro Welk saiu para fechar o ângulo e Daniel rolou a bola para o camisa 11 Luan, que ficou só ele e trave, sem muito trabalho Luan só colocou para os fundos dos barbantes e saiu para o abraço.

Volante Kadú

O resultado de 1×0, daria a chance de Redenção buscar o título nos pênaltis, mas 2×0, Xinguara é quem ficava com a taça. Foi então que Elizeu Alves, treinador de Redenção começou a fazer suas substituições em busca de pelo menos um gol para levar a decisão para as penalidades, mas Xinguara se fechava cada vez mais para segurar o resultado. Após os 7 minutos de acréscimos, o árbitro Júnior Falcão, apitou pela última vez e Xinguara comemorou o título de campeão 2018, dessa vez quem estava triste em casa era o torcedor redencense. O título xinguarense teve como destaque do jogo o volante Kadú.

Ficha Técnica do Jogo:

Redenção Vice-campeã:

Welk, Caio, Neném (Luiz), Careca, e Esquerdinha, Nino, Cherlys (Jean), Maranhense (Jovenil), e Leandrinho (Selton), Hugo Abacaxi, Uillon (Douglas).

Tec. Elizeu Alves.

Aux. Tec. Júnior Soares.

Xinguara Campeão:

Piter, Ramon (Maranhense), Silvio, Topete e Rafael, Ronde, Kadú, Pedro e Marcus Vinicius (Maicon), Daniel (Luiz Felipe), Luan.

Tec. Léo Rodrigues.

Aux. Tec. José Carlos Jr.

Arbitragem Liga Esportiva de Tucumã:

Árbitro: Júnior Falcão.

Aux. 01 – Antônio de Cássio.

Aux. 02 – Alex Oliveira.

Delegado do Jogo: Cícero Neves.

Texto: Roserval Ramos

Fotos: Ricardo Valente e Roserval Ramos

SEM COMENTÁRIO