NotíciasPolícia

Xinguara: Homem é impedido de cometer suicídio por policiais do GTO/PM

O fato aconteceu há um pouco mais de dois meses, mas vale a pena noticiar. Nossa equipe tomou conhecimento no inicio da manhã dessa quarta-feira, 22 de julho, de um fato ocorrido no dia 19 de maio do corrente ano, que chamou a nossa atenção, por ter sido um fato isolado, mas de muita importância para uma família que por pouco não perdeu um dos seus membros, que tentava tirar a própria vida.

No dia citado, a Guarnição do Grupamento Tático Operacional (GTO), do 17º BPM de Xinguara, composta pelo Cabo ALVARÁ e pelos Soldados BRUNO, ARIOSMAR e J. HENRIQUE foi acionada para atender uma ocorrência a típica, uma tentativa de suicídio. De imediato os militares se deslocaram para a localidade conhecida como Morro do Macaco, no Setor Marajoara II, onde no local o senhor Francisco de Assis Costa de 45 anos, informou que seu irmão de nome Glaudiston dos Santos Costa de 42 anos, teria subido para o morro alegando cometer suicídio, os policiais seguiram imediatamente de morro a cima, os homens do GTO, tiveram muita dificuldade para escalar a montanha, pois o local era de difícil acesso, com muitas pedras pelo caminho.

A intenção dos homens da PM era encontrar Glaudiston antes que ele tirasse a própria vida. Em dado momento a guarnição se deparou com o homem em cima de uma enorme pedra, ameaçando pular de morro abaixo, dizendo repetidamente, “HOJE ACABO ISSO AQUI”, momento este de grande aflição por parte dos familiares.

Em um momento de distração os policiais segurou Glaudiston evitando que ele pulasse da pedra e o mal fosse maior. Após uma longa conversa dos policiais tentando a todo o momento acalmarem a vítima, foi iniciado o deslocamento para um local acessível, onde a equipe do SAMU pudesse prestar o atendimento inicial.

Em seguida, Glaudiston dos Santos Costa foi levado para sua casa e entregue aos seus familiares, para que pudesse receber posteriormente atendimento e uma avaliação médica.

Após o ato de bravura, a Guarnição retornou para a base com a sensação de dever cumprido.

Às vezes a Polícia é olhada de uma forma descriminada pela sociedade, mas é pela Polícia que a sociedade é atendida em diversas situações.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar