NotíciasSaúde

Xinguara vira mãe de Canaã quando o assunto é Covid19

Ações de combate ao coronavírus de outros municípios serve de base para Canaã dos Carajás

O termo usado no título dessa matéria veio da imprensa e redes sociais da terra prometida, a bilionária Canaã dos Carajás localizado no sudeste do estado do Pará. Município vizinho que pela estimativa da prefeitura tem cerca de 60 mil habitantes, isso se levado em consideração os números do cartório eleitoral que chegam a 40 mil eleitores, mais o último diagnóstico da saúde que davam conta que o município tinha algo em torno de 50 mil pessoas em todo seu território.

Com um orçamento bilionário, os recursos destinados para a secretaria municipal de Saúde de Canaã superam toda arrecadação do município de Xinguara. Correspondente desse site naquela cidade tem informações de que, Daiane Celestrini, secretária de Saúde daquela que seria a princesinha do Pará, tem em seu orçamento anual o valor de 176 milhões de reais para trabalhar, enquanto que o município de Xinguara conta apenas com 149 milhões para todas as secretarias, e ao que tudo indica aqui se faz muito mais, com muito menos.

A reclamação nas redes sociais e as denuncias da imprensa daquele município que, nas últimas semanas ganharam repercussão nacional se concentram principalmente na má distribuição dos recursos e ainda acusam os gestores de serem corruptos. As indagações agora viraram comparativos e o principal município que estão usando de base, é Xinguara.

Entenda:

Segundo os moradores de Canaã, os números anunciados pela prefeitura em relação ao Coronavírus não são reais e o principal objetivo dos gestores é de provocar terror na cidade e evitar que as pessoas sejam contaminadas, pois se isso acontecesse, elas descobririam a falta de estrutura da Saúde de Canaã.

Desde o primeiro decreto da prefeitura municipal, bares, restaurantes e casas noturnas já estavam proibidas de funcionar deliberadamente na cidade, bem como reuniões, cultos e até festas particulares que pudessem aglomerar pessoas. O segundo decreto, no entanto, determinou o fechamento de todo comercio não essencial até 21 de maio, e por fim, o comércio continuou sendo massacrado, porém dessa vez pelo lock down do governo do estado que proibiu também a circulação de pessoas. Enfim, nenhuma dessas medidas foram suficientes para impedir a proliferação do Coronavírus, o que acabou mostrando ao mundo o caos na Saúde da cidade.

Em massa, as ações da secretária de Saúde de Xinguara Janaína Pereira começaram a ser divulgadas pelos moradores de Canaã que viam o empenho e bom relacionamento com a comunidade por parte de Janaína, e compararam os números positivos adquiridos aqui por meio do enfrentamento ao Covid19. Iniciaram então, um movimento solicitando que os gestores de lá viessem pegar uma aula com os gestores daqui, e para surpresa dos munícipes, algumas coisas começaram a ser copiadas, como por exemplo, as cabines de desinfecção instaladas na cidade que logo foram instaladas também em Canaã. O uso do medicamento adotado no protocolo de Xinguara foi adotado recentemente na terra prometida, porém de maneira falha, segundo acusa os moradores.

Ao contrário de Xinguara, a pessoa com suspeita de corona, não recebe nenhum tratamento até o nono dia com os sintomas, e só após isso é que entram com medicamento, que diga-se de passagem só chegou Em Canaã na segunda quinzena de maio. Embora a cidade tenha recebido R$3.999.684,73 (Três milhões, trezentos e noventa e nove mil, seiscentos e oitenta e quatro reais e setenta e três centavos) de crédito suplementar do governo federal, exclusivamente para combate ao Coronavírus, o número de infectados vem aumentando desenfreadamente, e os insumos que chegam ao município são doados pela mineradora Vale, o que aumentam as especulações em torno da suspeita de corrupção, uma vez que o município não consegue justificar os recursos, e mais uma vez os moradores utilizam os números destinados ao município de Xinguara que não chegam a R$700.000,00 (Setecentos mil reais) do governo federal e o orçamento anual da Saúde é de apenas R$35 milhões.

Outro fator criticado pela população é o fato do prefeito da cidade que contraiu a doença ter feito todos os seus exames na rede particular, conforme vídeo publicado por ele próprio em suas redes sociais, e ainda seu pré-candidato a vice prefeito que ao testar negativo na rede pública de Canaã, fez sua contra prova em Goiânia onde ficou internado ao ser diagnosticado com covid19.

Os testes rápidos adquiridos pelo município são os mais caros do país, e várias pessoas tem denunciado que depois de testarem negativo, fizeram a contra prova por conta própria e o resultado foi positivo. Reclamam ainda que o município não tem um protocolo de atendimento, e que o disque corona não funciona. A única rádio da cidade realizou enquete onde questionou os ouvintes sobre a eficácia do disque covid19 e não obteve nenhuma resposta positiva.

O site da Vale disponibiliza todas as informações sobre as generosas doações realizadas para o município bilionário que não possui uma UTI sequer, o numero de leitos e unidades de Saúde é menor que os de Xinguara, além de não ter UPA, e nem dar suporte aos moradores com ambulâncias, nem mesmo em caso de acidente, conforme matéria veiculada no SBT Brasil.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar