Denatran afirma que não há como a Kombi continuar em linha em 2014

Questão foi levantada pelo prefeito de São Bernardo do Campo, que chegou a pedir a manutenção da produção da Kombi, mas o modelo não atende às necessidades impostas por resoluções do Contran, que exigem mais segurança nos veículos.

20131024211006212942aO Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) confirmou na tarde desta quinta-feira (24), que não há possibilidade da Kombi continuar em linha, mesmo com o apelo que o prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Luiz Marinho (PT) fez ao Ministério de Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior (MDIC), para que o utilitário continuasse sendo produzida para poupar cerca de quatro mil empregos. Luiz Marinho disse, ainda, que a Kombi deveria se manter no mercado por mais três anos até que a VW tivesse tempo para iniciar a produção de um novo modelo que poderia substituir a ‘perua’.

O MDIC disse que está disposto a negociar uma solução para os problemas apontados pelo prefeito, mas que uma decisão sobre o futuro da Kombi dependeria da Volkswagen e do Denatran. As resoluções 311 e 312, de 03 de abril de 2009, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), estabeleceram a obrigatoriedade do uso do airbag duplo frontal e do ABS nos veículos automotores de passageiros e de carga. A implantação desses dispositivos foi realizada em fases de forma a permitir que a indústria adequasse seus projetos e sua produção, culminando com a obrigatoriedade de 100% dos veículos estarem equipados com esses itens de segurança a partir de 1º de janeiro de 2014. Dessa forma, nesses últimos cinco anos, todos os fabricantes de veículos trabalharam no sentido de lançar novos modelos ou de melhorar os projetos existentes de forma a atender à legislação. Em função da impossibilidade de atender a esses novos requisitos de segurança, diversas montadoras anunciaram a extinção ou reformulação de seus produtos.

Apesar da Prefeitura de São Bernardo do Campo e do MDIC confirmarem o pedido para continuação da produção da Kombi, o Denatran informou que não recebeu nenhuma demanda sobre este assunto e afirmou que “não é viável permitir que veículos que não atendam aos novos requisitos de segurança continuem a ser comercializados unicamente no país”.

Na Europa, a Kombi foi substituída pelo Transporter, um utilitário moderno, seguro e confortável. O Brasil é o único país onde a Kombi é fabricada, praticamente igual ao modelo que deixou de ser produzido na Alemanha em 1979 e não há nenhum veículo no momento para substituí-la. (Texto: Marcello Oliveira – Portal Vrum).

 

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA