Polícia

Delegado nega possibilidade de ‘serial killer’ em Parauapebas

Delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas
Delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas

Depois da morte da adolescente Bárbara Lira Pereira, de apenas 13 anos, vários grupos em redes sociais, como o Whatsapp, passaram a espalhar informações infundadas a respeito do autor desse e de outros crimes parecidos em Parauapebas. O delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, descartou a possibilidade de que exista um assassino “serial killer” na cidade.

“Infelizmente, grupos em redes sociais estão divulgando vários informes, causando uma verdadeira sensação de pânico na cidade”, afirma o delegado. Ele ressalta que existe um grupo de Whatsapp criado exatamente para facilitar a comunicação entre a Polícia Civil e a imprensa local, a fim de evitar esse tipo de especulação.

Thiago Carneiro informou que as autoridades policiais já estão tomando as medidas necessárias para punir esse tipo de atitude, mandando intimações para pessoas que já estão sendo identificadas para responderem criminalmente por enviar mensagens falsas via celular.

Por conta da informação de que uma foto do namorado de Bárbara estaria circulando pelas redes sociais de maneira caluniosa, a reportagem questionou o diretor da 20ª Seccional a respeito do depoimento do rapaz. O delegado voltou a afirmar que as investigações seguem em sigilo, para não atrapalhar o trabalho da Polícia.

Sobre rumores levantados na cidade de que os recentes casos de mulheres mortas ou violentadas em Parauapebas pudessem ter o mesmo autor, Thiago Carneiro afirmou que a polícia acredita serem casos bem diferentes. “Estamos apurando todos os casos com afinco, com o apoio de todos os delegados da Polícia Civil”, concluiu.

Outra adolescente

Surgiu mais uma adolescente vítima de violência sexual no Bairro Tropical II, em Parauapebas. Trata-se de uma jovem de 14 anos que foi estuprada dentro da própria residência, na última segunda-feira (24), e em seguida socorrida por uma vizinha, que a encaminhou para o hospital público municipal. Espancada e ainda submetida a ameaças de morte, a garota sobreviveu e se encontra internada em uma unidade de saúde.

O caso dessa adolescente está sendo também investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Manifestação

Em protesto contra o alto índice de violência na cidade, um grupo de mulheres organiza para a tarde do próximo sábado (29) uma manifestação pelas ruas de Parauapebas. O protesto deve cobrar das autoridades mais segurança para o município. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar