Polícia

O segundo assassino da chacina Estiva foi preso no Tocantins

Genival Pereira dos Santos conduzido pela Polícia Militar do Tocantins
Genival Pereira dos Santos conduzido pela Polícia Militar do Tocantins

Já esta preso o segundo suspeito de envolvimento no caso Estiva, o preso é acusado da morte de uma família inteira de colonos no assentamento da Fazenda Estiva, no município de Conceição do Araguaia, sudeste paraense, em fevereiro deste ano, o homem, o “MONSTRO”, foi preso na rodoviária de Araguaína, no Estado do Tocantins, no final da tarde da última quinta-feira (2).

O acusado de envolvimento nas mortes seria Jhony Santos Pereira, vulgo ‘Jhonys’, mas na verde é falso o nome usado pelo assassino, o verdadeiro nome dele é Genival Pereira dos Santos, ele tem 30 anos de idade e é irmão de Antônio Bernardo dos Santos Pereira, comparsa no envolvimento na chacina, que foi preso na quarta-feira (1°), em Floresta do Araguaia, no sudeste paraense.

O delegado da Delegacia de Conflito Agrário (DECA), Valdivino Miranda

Momento da prisão
Momento da prisão

que estava conduzindo Antônio Bernardo, que foi ouvido na delegacia da Polícia Civil de Xinguara, falo com a imprensa e disse que dos dois acusados “Jhony” é o mais perigoso, o delgado afirmou em off, que ele é acusado de outro crimes de assassinato praticados no Pará, Valdivino Miranda falou sobre um dos crimes que foi cometido em 2009, em Eldorado dos Carajás com a mesma característica dos cremes cometidos na chacina Estiva. A prisão de Genival se deu, em conjunto, pelas Polícias Militar e Civil dos Estados do Pará e do Tocantins.

 O CRIME

A chacina vitimou seis pessoas de uma mesma família, entre eles dois adultos, Washington e Lidiane, duas crianças e dois adolescentes, que seriam filhos e um sobrinho do casal.

As vítimas desapareceram na madrugada do dia 17 de fevereiro e os corpos foram encontrados no mesmo dia, em um rio que passa na área. Para a Polícia Civil, o crime foi motivado por conflitos agrários e com a prisão dos dois principais suspeitos, o caso possa ser elucidado em breve.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo