Notícias

Presos queimam colchões e tentam incendiar cadeia no Tocantins

Cerca de 16 presos atearam fogo em utensílios na cadeia de Colméia.
Motivo seria a suspensão de visitas e outros serviços devido à greve da PC.

colmeia_3A Cadeia Pública de Colméia teve um princípio de incêndio na noite desta segunda-feira (2). Segundo informações da unidade, por volta das 21h30, 16 presos que estavam juntos em uma das celas, jogaram colchões, roupas e outros objetos no corredor de acesso e atearam fogo. O fogo só não atingiu grandes proporções porque os agentes perceberam a movimentação e controlaram as chamas usando extintores.

No momento, tinham dois plantonistas na unidade. Segundo informações de funcionários, os detentos começaram a reclamar, não quiseram comer e então atearam fogo nos utensílios. O motivo, conforme as informações, seria a greve da Polícia Civil. A paralisação dos profissionais dura uma semana e tem afetado serviços em delegacias e outros órgãos. Nas cadeias, os detentos estão sem receber visitas, por exemplo.

Na cadeia de Colméia tem 32 detentos que cumprem pena no regime fechado e dois, no semiaberto. A unidade informou que a direção vai analisar as imagens das câmeras de segurança para saber quem provocou o incêndio. O fogo, que durou cerca de cinco minutos, não atingiu a estrutura.

No Tocantins, uma onda de incêndios a ônibus tem assustada a população. Em três dias, pelo menos seis veículos foram alvos de ataques. Em Palmas, dois foram queimados e um alvejado, no último fim de semana. Em Araguaína, três veículos também foram incendiados na noite desta segunda-feira (3). A polícia investiga se os ataques estão partindo de dentro dos presídios como uma resposta por causa dos serviços interrompidos devido à greve dos policiais civis. (G1/TO)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar