Polícia

Quadrilha de assalto a bancos é transferida para Belém

Grupo teria cometido 3 assaltos em Baião, ocorridos entre 2011 e 2013.
Três suspeitos morreram e sete estão foragidos.

A Polícia Civil apresentou, nesta sexta-feira (6), quatro homens envolvidos em roubos a bancos presos durante a operação “Ultimato”, realizada na quarta (4), no sudeste do Pará; em Imperatriz, no Maranhão, e em Aparecida de Goiânia (GO). Os integrantes do bando, responsável pelos três roubos à agência do Banco do Brasil em Baião, ocorridos entre 2011 e 2013, foram transferidos para Belém, após autorização judicial.

Segundo a polícia, dos envolvidos com a quadrilha, quatro foram presos, três morreram após troca de tiros com policiais civis e outros sete permanecem foragidos. A apresentação dos presos foi presidida pelo delegado João Bosco Rodrigues, diretor de Polícia Especializada, pelos delegados Ivanildo Santos e André Costa, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), e Luís Xavier e Mac Dowell Fortes, que participaram da operação, destinada a cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra envolvidos na organização criminosa. O grupo foi responsável por roubos a bancos, na modalidade conhecida como “vapor” ou “novo cangaço”.

Foram apresentados os irmãos Lairton José Pereira de Oliveira e Wilton Pereira de Oliveira, presos no Maranhão; e Nailton Pereira de Oliveira, conhecido como “Neném” ou “Loirinho”, preso em Goiás, além de Rafael Garcia Parreira, o “Galego”, preso em Xinguara, sul do Pará. Também foram divulgadas as imagens dos foragidos. Foram mortos, em Marabá, durante troca de tiros, os assaltantes Francisco dos Santos Silva, conhecido como “Super 15” ou “Chiquinho”, apontado como líder da quadrilha; Dionflay Pereira Costa e Geraldo Almeida de Siqueira, o “Geraldo Paulista”, que era pernambucano e integrava o Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo.

Crimes no interior do PA
Conforme o delegado Ivanildo Santos, já está comprovado que as armas (um fuzil, uma metralhadora, uma submetralhadora de uso exclusivo do Exército, uma escopeta um rifle de repetição e uma espingarda) apreendidas no último dia 5 de novembro, em Aurora do Pará, em poder do matogrossense Carlos Eduardo Rodrigues Pereira, 23, foram usadas no último assalto a banco cometido pela quadrilha, em Baião, no Pará, há dois meses. O próprio preso, Carlos Eduardo, também é envolvido com a organização criminosa. Também foram apreendidas, na ocasião, seis bananas de dinamite que seriam utilizadas em um roubo a banco na região.

O delegado Ivanildo Santos explica que a quadrilha era dividida em dois núcleos. Um deles era comandado por “Super15”. O outro tinha como líder Anilton da Silva Rodrigues, de apelido “Nariz de Bruxa” ou “Barriga”, que está foragido. Ainda, conforme o policiail, já está comprovado que o bando foi o responsável pelos ataques aos caixas eletrônicos, com uso de explosivos, a um banco de Nova Timboteua, no Pará, este ano, de donde a quadrilha tentou, sem sucesso, levar o dinheiro, e a uma agência em Água Azul do Norte, no sul do Estado.

O mesmo bando também está envolvido em assaltos a banco em Bom Jesus das Selvas, no Maranhão, em 27 de novembro deste ano, quando explodiu, com uso de dinamite, quatro caixas eletrônicos. Os criminosos portavam armamento de grosso calibre de uso exclusivo das forças armadas. Segundo Ivanildo, dos três irmãos presos – Nailton de Oliveira teve participação em todos os roubos a banco em Baião, e em outros dois assaltos, nas modalidades “vapor” e “sapatinho”. Com o dinheiro roubado, ele mudou-se para Goiás, onde comprou um carro, mobiliou uma casa e abriu uma lanchonete na cidade. Com ele, foram apreendidos dois veículos – um caminhonete e uma moto – e eletrodomésticos comprados com dinheiro roubado. Os outros dois irmãos receberam parte do dinheiro.

Sobre a operação policial, em Marabá, onde três integrantes do bando foram mortos, o delegado Luís Xavier, que coordenava a equipe no local, detalhou a ação policial. “Fizemos o cerco, pela frente e pelos fundos, da casa, localizada em um condomínio de luxo no bairro São Félix. No momento da entrada eles dispararam em nossa direção e nós tivemos que revidar. Os três ainda foram socorridos, mas não resistiram”, detalha. No local, uma caminhonete modelo Hilux usada nos assaltos foi apreendida, além de armas de fogo.

Um deles era o maranhense “Super15”, que já esteve preso no Pará e no Maranhão, por roubos a banco. Ele ganhou esse apelido por usar um fuzil AR15 nos assaltos. As investigações mostraram que Dionflay Pereira Costa participou do assalto a banco em Itupiranga, sudeste do Pará, em 10 de dezembro de 2008. Na ocasião, o subgerente do banco acabou morto a tiros, atribuídos a Dionflay. Ainda conforme os delegado, a quadrilha costumava se comunicar por meio de mensagens de texto, via telefone celular, em telefones públicos e em rápidas reuniões.

Os presos serão encaminhados ao Sistema Penitenciário. As investigações prosseguem com a finalidade de localizar e prender os demais envolvidos com o bando que ainda estão foragidos. Quem souber do paradeiro deles pode ajudar a polícia através do 181, o Disque-Denúncia, serviço telefônico de denúncias totalmente sigiloso e gratuito. (Fonte: G1/Pará).

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo