Rio Maria, no Pará, volta a ser notícia nacional com repercussão do assassinato de conselheiro tutelar

Em campanha pela recondução ao cargo, o conselheiro tutelar de Rio Maria, sul do Pará, Gutemberg Santana, 47, foi assassinado quando estava conversando com um amigo, num salão de beleza, na Rua 13, no centro da cidade.

O fato aconteceu por volta das 18h45, desta quinta-feira, 19, quando Gutemberg conversava com um amigo, momento em que um homem chegou numa motocicleta, desceu e disparou vários tiros que lhe ceifaram a vida.

Gutemberg, que também era coordenador do órgão, estava no terceiro mandato de conselheiro tutelar, estava em campanha buscando a recondução, com eleições marcadas para o próximo dia 6 de outubro.

___________ CONTINUE LENDO DEPOIS DA PUBLICIDADE ___________

 AMEAÇA

Gutenberg, segundo informações, sofreu ameaça de morte no ano de 2013, conforme Boletim de Ocorrência, número 00215/2013.002358-06, na delegacia de Rio Maria, contra um vereador.

Na época, o Conselho Tutelar recebeu uma denúncia e comunicou o fato ao Ministério Público, que dava conta de que o vereador teria espancado e torturado uma adolescente de 17 anos, com quem mantinha um relacionamento amoroso.

O vereador chegou a ficar três dias presos e foi solto depois de pagar fiança de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para responder ao processo em liberdade.

A autoria assim como o motivo do assassinato é desconhecida. A Polícia Civil de Rio Maria já está investigando o caso.

Diferentemente de outros casos de assassinatos em Rio Maria, desta vez o local do crime foi preservado até a chegada de uma equipe do Centro de Pericias Renato Chaves, da cidade de Marabá, em seguida o corpo foi levado ao IML daquela cidade, onde passou por exame de necropsia, o corpo devera chegar em Rio Maria no final da tarde desta sexta e será velado na residência da família, na Avenida 10 esquina com a Rua 9, no centro da cidade.

Em nota a Associação de Conselheiros e Ex-conselheiros Tutelares do Pará – ACONEXTEL enviou condolências a toda família e apoio aos Conselheiros Tutelares do referido município.

 

SEM COMENTÁRIO