Jáder, Helder e alta cúpula do MDB são intimados pela PF para esclarecer suposto recebimento de 40 Milhões em propina

Jader Barbalho (Foto: Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

A mídia nacional amanheceu em alerta depois que o Ministro do STF, Edson Fachin, determinou buscas e apreensões e sequestros de bens de envolvidos em um suposto esquema de repasse de 40 milhões pela J&F para abastecer campanhas políticas em 2014 do MDB.

Na ocasião a PF intimou para prestarem esclarecimentos, entre outros, os “grandalhões” da cúpula nacional do MDB, dentre eles o Governador do Pará Helder Barbalho e o seu pai, o Senador Jáder Barbalho, todos acusados de se beneficiarem com os repasses supostamente ilegais.

A operação é fruto de delações premiadas feitas por executivos da J&F e da Transpetro, que delataram que, a pedido do PT, repassaram ao MDB o valor de 40 milhões de reais para custear campanhas em 2014.

Os fatos narrados pelos delatores dão conta de que todos os repasses eram maquiados dentro da legalidade, mas atendiam aos interesses ilegais dos partidos, pois faziam parte dos “pacotes” de dinheiro que o PT supostamente usou para comprar votos dos congressistas emedebistas.

Os intimados declararam à imprensa que vão prestar os devidos esclarecimentos e, em suma, negaram recebimento ilegal de dinheiro para campanhas.

Não se sabe em quantas andam o inquérito que apura tais repasses, pois parte dele ainda permanece em segredo de justiça, mas já se espera os impactos dessa investigação no processo eleitoral de 2020, afetando, inclusive, a cidade de Xinguara e seus candidatos do MDB.

SEM COMENTÁRIO